Recomendação do MPF pede a mudança no nome de 7 escolas do Acre que homenageiam pessoas ligadas à ditadura militar

- Publicidade -

Sete escolas da rede estadual do Acre devem mudar de nome após uma recomendação do Ministério Público Federal no estado (MPF), que pediu à Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes (SEE-AC), que institua uma comissão técnica para fazer a mudança. Segundo o órgão, as escolas homenageiam pessoas que estão ligados à ditadura militar, direta ou indiretamente.

“Em âmbito local, segundo o MPF, é sabido que o estado do Acre foi palco de perseguições políticas, violências, ameaças e mortes cometidas pelo regime-civil militar, e, assim como outros estados da região Norte nesse período, alvo de um discurso governamental homogeneizador, caracterizado pela construção simbólica do bioma amazônico como uma grande massa florestal inabitada, a ser ocupada, colonizada e desenvolvida”, destaca nota divulgada pelo MPF.

Uma comissão de professores indicados pela Universidade Federal do Acre (Ufac) contribuiu na indicação da lista de nomes de bairros e prédios públicos no estado acreano e que prestam homenagens a perpetradores de crimes na ditadura no estado do Acre.

- Publicidade -

As escolas estaduais que devem ser atingidas com a medidas são:

  • Capitão Edgar Cerqueira Filho;
  • Aracy Cerqueira,;
  • Jorge Kalume;
  • Georgete Eluan Kalume;
  • Agnaldo Moreno;
  • João Batista Aguiar;
  • Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco.

 

“A secretária de Educação Socorro Neri tem o prazo de 15 dias úteis para informar ao MPF se acata a recomendação e relate as ações tomadas para seu cumprimento, ou, por outro lado, indique as razões para o não acatamento, tendo sido alertada que se não acatada, poderá implicar na adoção das medidas judiciais cabíveis, inclusive por eventos futuros imputáveis à sua omissão”, destaca o MPF.

g1 entrou em contato com a secretaria, que informou que iria confirmar se a recomendação já havia sido recebida.

Por G1

Related Articles