‘Na próxima, você será retirado’, diz juiz do julgamento da boate Kiss a advogado após desentendimento

0
120

Por g1 RS

O advogado Jean Severo, que defende o réu Luciano Bonilha no julgamento da boate Kiss, foi advertido pelo juiz Orlando Faccini Neto, durante depoimento de Daniel Rodrigues da Silva, gerente da loja em que os artefatos pirotécnicos usados na boate foram comprados. “Hoje, não está fácil. hoje, não está fácil. A próxima que você me fizer, você não vai ficar mais aqui”. O julgamento chegou ao terceiro dia nesta sexta-feira (3).

Os familiares de vítimas que acompanham o júri no plenário também reagiram, criticando o advogado. Ele se exaltou em duas situações: quando o depoente questionou se precisava responder pergunta sobre a fiscalização em sua loja, e quando Daniel recusou-se a ler o rótulo de uma caixa de fogos de artifício.

O júri chegou a ser interrompido por dez minutos. Os familiares foram orientados pela equipe do tribunal a não se manifestarem.

No dia anterior, durante a segunda sessão do júri, Faccini Neto já havia advertido advogados de defesa, classificando uma ação da defesa do réu Elissandro Spohr como “apelativa e desnecessária”. O advogado Jader Marques chamou seu cliente para o centro do auditório e, frente a frente com uma sobrevivente do incêndio, questionou se ela tinha “ódio” do acusado.

“Isso não é adequado porque nós estamos em um sistema de Justiça que busca, efetivamente, racionalizar aquilo que as vítimas sentem. […] Eu considero — digo isso muito respeitosamente, mas vai ficar registrado — eu considero apelativo e desnecessário isso”, sustentou.