Comitiva acreana é recebida pelo presidente do Banco da Amazônia no Pará

    Por

    Nesta sexta-feira (3), os membros da comitiva de deputados, secretários, prefeitos, vereadores e técnicos da área de produção agrícola do Acre que estão no Estado do Pará conhecer a cadeia produtiva do açaí, foram recebidos pelo presidente do Banco da Amazônia, Valdecir Tosa.

    Segundo o vice-presidente da Aleac e líder da comitiva, Jenilson Leite ( PSB), o BASA é base de sustentação para o avanço da produção em grande escala no Pará. ” Viemos ao BASA porque a instituição é um importante parceiro no fomento da cadeia de produção e da indústria do açaí, porque é de onde provém o recurso para o investimento nas áreas de produção. Com os investimentos do BASA no setor produtivo, houve geração de renda e o desenvolvimento do estado vem melhorando a cada ano. Por isso, além de conhecer a cadeia produtiva e as indústrias , também estamos buscando formas de fomentar esse novo empreendimento que vai gerar emprego, renda e melhorar a vida de centenas de acreanos e, para isso, precisamos conhecer as linhas de créditos disponíveis”, destacou o parlamentar.

    Ao contrário do Acre que 98% cultivo do açaí ainda é nativo, no Pará, tem centenas de plantio e o resultado é a movimentação cinco bilhões de reais por ano na economia local. Também possibilitou o surgimento de mais de 300 indústrias.

    Valdecir Tosa, presidente do BASA, destacou a visita dos deputados, prefeito, secretários, técnicos e da vereadora como de suma importância. ” A visita dessa comitiva mostra a preocupação de buscar alternativas para a população, o produtor rural e gerar riquezas de forma sustentável. Então, o açaí é uma cadeia importante aqui no Pará, importante para vários municípios. E os representantes do Acre querem replicar o que está dando certo a partir da realidade do Estado. E o BASA têm linhas de fomento através do FNO para apoiar esse desenvolvimento. Se conciliar o empresário com o Estado, Municípios , com Banco da Amazônia e assistência técnica, as coisas funcionam muito bem. Com isso, tenho certeza que o Estado do Acre daqui a cinco anos vai estar produzindo muito açaí, gerando renda e riqueza para a população”.

    Vale destacar que o BASA tem linhas de créditos para o pequeno, médio e grande produtor. Isso permite que o dono de duas hectares possa ter acesso ao crédito, da mesma forma que o proprietário de cem lotes.