Frederik Willem de Klerk, prêmio Nobel da Paz de 1993, morre aos 85 anos na África do Sul

- Publicidade -

Por G1

Frederik Willem de Klerk, ex-presidente da África do Sul que ganhou o prêmio Nobel da Paz em 1993 por sua participação no fim do apartheid, morreu nesta quinta-feira (11) aos 85 anos.

A FW de Klerk Foundation disse em um comunicado que o ex-presidente morreu na Cidade do Cabo, “em sua casa em Fresnaye no início desta manhã após sua luta contra o câncer de mesotelioma”.

- Publicidade -

O político sul-africano governou o país entre 1989 e 1994 e foi o responsável por libertar Mandela e outros prisioneiros políticos.

Último presidente branco da África do Sul, FW de Klerk ganhou o Nobel da Paz junto com Mandela (veja na foto abaixo) e também foi seu vice-presidente entre 1994 e 1996.

Mandela foi o primeiro presidente negro do país, nas primeiras eleições multirraciais da África do Sul.

O apartheid

O apartheid foi uma política de segregação racial do estado que vigorou entre 1948 a 1993 na África do Sul (apartheid significa “separação” na língua africâner, que é derivada do holandês).

Durante os mais de 40 anos de apartheid, imperava no país uma política segregação dos cidadãos segundo a cor de sua pele — em que a minoria branca dominou a maioria negra.

A África do Sul foi colonizada por holandeses e britânicos e se tornou um país independente em 1910, mas conviveu com ações de dominação dos nativos negros desde a chegada dos primeiros europeus, no fim do século XV.

Em 1948, com a vitória do Partido Nacional nas eleições legislativas, a segregação racial se tornou um política oficial de estado. O governo passou a registrar cidadãos segundo a raça e a proibir os casamentos mistos.

Related Articles