MP de SP ouve pela 1ª vez pacientes que usaram ‘kit Covid’ da Prevent Senior; tratamento é ineficaz contra doença

- Publicidade -

Por Kleber Tomaz e Guilherme Balza, g1 SP e GloboNews — São Paulo

força-tarefa do Ministério Público de São Paulo (MP-SP) começa a ouvir pela primeira vez, a partir desta quinta-feira (14), pacientes que usaram o ‘kit Covid’ fornecido pela Prevent Senior. Já está cientificamente comprovado que os medicamentos fornecidos pela operadora de planos de saúde são ineficazes contra a doença. Em outras palavras, não previnem e nem combatem o vírus.

Entre os remédios que fazem parte do chamado “tratamento precoce” estão a hidroxicloroquina, a cloroquina, a ivermectina e a flutamida. Eles foram dados pela empresa para pacientes com coronavírus. Alguns deles tiveram complicações de saúde e outros morreram após o uso nos hospitais da rede.

- Publicidade -

Diretores e médicos da Prevent Senior são investigados pelo MP e pela Polícia Civil por determinarem e darem o ‘kit Covid’ a pacientes com sintomas ou infectados pelo vírus. Por esse motivo, eles são suspeitos de terem cometido ao menos três crimes contra as vítimas: homicídiofalsidade ideológica e omissão de notificação de doença obrigatória às autoridades.

Em outras oportunidades, dirigentes da Prevent Senior disseram à imprensa que seus médicos têm autonomia para prescrever o ‘tratamento precoce’ aos pacientes. Mas médicos ouvidos pela reportagem alegam que, na verdade, eles eram ameaçados pela empresa para dar o ‘kit Covid’.

https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2021/10/14/mp-de-sp-ouve-pela-1a-vez-pacientes-que-usaram-kit-covid-da-prevent-senior-tratamento-e-ineficaz-contra-doenca.ghtml

Related Articles