Renatinho culpa Luxemburgo por insucesso no Santos: “Queria tomar conta da minha carreira”

- Publicidade -

Renato Carlos Martins Júnior foi um dos diversos “Meninos da Vila” que acabaram não vingando no Santos. Em 2006, ainda remoendo a saída de Robinho para o Real Madrid, o Peixe viu no jovem Renatinho a esperança de manter um time competitivo e lucrar com a formação de mais um craque.

Tratado como joia, Renatinho empolgou ainda mais a torcida santista quando brilhou na semifinal da Libertadores de 2007, marcando dois dos três gols da vitória sobre o Grêmio. Mesmo não evitando a eliminação, a torcida se apaixonou e o atacante ganhou ainda mais moral no clube, sendo apontado como o sucessor de Robinho. Depois, porém, não conseguiu corresponder às expectativas.

Em entrevista ao ge, Renatinho disse que a frustrada passagem pelo Santos teve um culpado: o técnico Vanderlei Luxemburgo. Segundo o atacante, o treinador, comandante do Peixe naquela época, queria “tomar conta” de sua carreira e não deu a ele as oportunidades que imaginava para deixar de ser mais uma promessa.

- Publicidade -

– Não tive sequência por esse motivo do Luxemburgo não me ter 100% na mão dele. Ele trabalhou muito essa parte, acredito que hoje ele não faça mais isso, mas antigamente ele gostava de tomar conta do lado pessoal do atleta. E meu empresário era o Juan Figer, um dos melhores do Brasil e do mundo. Como ia chegar para ele e dizer que não iria mais ficar com ele? Falar isso para o Juan Figer? Então, foi o que me atrapalhou, ele queria conduzir minha carreira, e eu não deixei. Ele colocava jogadores que provavelmente tinha um controle maior – disse Renatinho.

– Ele não chegava impondo: “Olha você tem de fazer isso”. Ele chegava pra mim e falava: “E aí, como é que a gente vai fazer? Você tem de estar comigo”. Eu meio que dava um driblezinho leve porque não era minha intenção, então falava para ele que ia conversar com eles (empresários). Na real, nem conversava, só passava o que estava acontecendo. Eles me perguntavam por que de não estar jogando. Eu falava que ele (Luxemburgo) chegava em mim, não falava que tinha de assinar com ele, mas dava a entender que, se não fizesse do jeito dele as coisas, não teria sequência. E não tive sequência – reforçou o ex-jogador do Santos.

Renatinho disse que nunca levou o caso até a diretoria do Santos. O papo ficava entre ele, Luxemburgo e no máximo com o empresário que na época o agenciava, o uruguaio Juan Figer. A ex-promessa do Santos também afirmou não ter conhecimento de outros jogadores que possam ter passado pela mesma situação.

Sou grato ao Luxemburgo, que me subiu para o profissional. Mas ele gosta de fazer um trabalho que é cuidar da sua carreira fora do campo. E isso foi me atrapalhando no Santos
— Renatinho.
 

Procurado pelo ge, o técnico Vanderlei Luxemburgo, hoje no Cruzeiro, respondeu via assessoria de imprensa. O treinador afirmou que não se lembra de Renatinho, chamou as declarações de oportunistas e que “sempre há uma desculpa quando algo não dá certo

Entre 2006 e 2008, Renatinho fez 29 jogos e marcou cinco gols pelo Santos. 

Aos 34 anos, o atacante se prepara para a aposentadoria. Após rodar o mundo, Renatinho não esconde que tinha a expectativa de fazer sucesso no Santos e construir trajetória em um grande clube europeu.

Acredito que no Santos foi o que me atrapalhou. Você vê o Rodrygo, Gabigol, Kaio Jorge e Geuvânio, eles tiveram sequência
— Renatinho.

– Todo mundo ficou na expectativa que eu ia dar sequência. Acho que poderia render muito mais, mesmo com poucos jogos. Se pegasse um treinador, por exemplo, como o Celso Roth, que montou aquela geração de 2002. Não dá para colocar a culpa de tudo no Luxemburgo, mas muita gente no futebol entendeu o que aconteceu – lamentou Renatinho.

Por Globo Esporte

Related Articles