Pedindo abono salarial, servidores da saúde de Cruzeiro Sul entram em greve por tempo indeterminado

- Publicidade -

Os servidores da saúde do município de Cruzeiro do Sul, no interior do Acre, entraram em greve por tempo indeterminado na manhã desta quarta-feira (15). A categoria pede o abono salarial, no valor de R$ 600 e também alega que faltam insumos nas unidades para trabalhar e pedem melhores condições de trabalho.

O movimento começou no início da manhã, com encontro na praça do Coreto, depois seguiram para frente da prefeitura. Com cartazes e balões brancos, eles saíram em caminhada, passaram pela Ponte da Amizade e também fizeram homenagem aos servidores que morreram durante a pandemia de Covid-19.

G1 aguarda resposta da prefeitura que informou que deve se manifestar ainda nesta quarta.

- Publicidade -

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Acre (Sintesac), Venilson Albuquerque, disse que eles tentaram negociar com a prefeitura, porém não tiveram uma resposta favorável e por isso decidiram pela greve.

“A reivindicação é o abono salarial, condições de trabalho, falta de insumos e medicamentos. Hoje, os profissionais estão em busca de sua valorização porque estamos sendo desvalorizados”, disse o representante da categoria.

Albuquerque disse que foi ofertado a eles o abono de R$ 200, mas o valor não se aproxima do que foi pedido pela categoria.

“Falta material de curativo, seringa, medicamentos, tudo. É greve por tempo indeterminado e estamos seguindo para frente da prefeitura, depois de termos várias negociações e não teve avanço, só teve avanço com a educação, para a saúde nada”, pontuou.

Por G1

Related Articles