Gestão do Hosmac é marcada por troca de acusações entre servidores e denuncias de assédio sexual

- Publicidade -

Por Leônidas Badaró, ac24horas 

O Hospital de Saúde Mental do Acre (Hosmac) se tornou atualmente a unidade de saúde que mais necessita de forma urgente de uma intervenção do governo do estado. O hospital, que é de extrema importância para quem precisa de tratamento para distúrbios mentais no Acre, vive uma verdadeira e declarada guerra entre servidores que apoiam e os que são contrários a atual gestão, que tem Halisson Lima, como diretor do hospital. O mais sério é que os dois lados fazem graves acusações, que já estão, inclusive, na esfera judicial. No meio do fogo cruzado, ficam os pacientes, prejudicados pela troca de acusações.

De um lado estão os servidores que fazem graves acusações. O grupo de profissionais enviou uma carta endereçada ao governador Gladson Cameli com sérias acusações. A reportagem do ac24horas teve acesso ao documento e conversou com pelo menos três servidores, que pedem anonimato, mas que fazem parte do grupo que denuncia Halisson Lima.

- Publicidade -

Na carta, assinada por funcionários e familiares, o grupo solicita a intervenção do Hosmac e diz que há cerca de mais ou menos 2 anos a unidade vem passando por profundas mudanças, para pior. Denúncias graves de assédio sexual contra servidoras da unidade e ameaça de perda de contrato e até devolução de quem não cederia à suas investidas são expostas no documento. “O diretor usa de sua influência e de se dizer primo do governador para poder fazer atrocidades dentro da unidade”, diz a denúncia.

Os servidores afirmam que Halisson chegou a divulgar imagens pornográficas, onde aparece com mulher nua, em um grupo de whatsapp de servidores. Afirmam ainda que o diretor da unidade intimida os que são contra seu comportamento, coagindo quem pensa diferente dele, alguns funcionários estão adoecendo, com medo de deixar a unidade em que muitos trabalham há mais de 15 anos. Há 10 dias, parte do grupo foi recebido por uma comissão da Secretaria Estadual de Saúde onde puderam expor as denúncias contra a direção.

A reportagem procurou Halisson que se manifestou sobre as acusações. O diretor do Hospital se diz perseguido por ter feito mudanças na gestão do Hosmac que resultaram em perda de privilégios de servidores que não trabalhavam e que recebiam vantagens indevidas. Estou com minha consciência tranquila. Quem viu como era o Hosmac e é hoje sabe o que temos feito de melhorias para essa unidade de saúde. Eu sou perseguido apenas por fazer o correto enquanto gestor”, disse Halisson . O diretor comentou sobre as fotos enviadas ao grupo de whatsapp, “Fui inocente, achando que tinha amigos. Não era um grupo de servidores para assuntos de trabalho e sim entre amigos, onde todo mundo mandava esse tipo de conteúdo e não tinha nenhuma servidora envolvida”, explica.

Corte de privilégios, agressão e até investigação de apropriação de dinheiro de pacientes

De um outro lado, existem os servidores que apoiam a atual gestão e que denunciam que Halisson é vítima de uma perseguição de servidores por conta do corte de regalias. “Há uma panelinha dentro do Hosmac que desde o governo do PT faz o que bem entende dentro da unidade. Servidor que recebe plantão sem aparecer na unidade. O atual gerente mudou as rotinas. Tem profissional que bate em paciente e não é revelado”, afirma um servidor da área de enfermagem.

No entanto, há denúncias ainda mais graves. O ac24horas recebeu a informação de que foi descoberto o caso de servidor do Hosmac que teria a curatela de pacientes, receberia os salários de pacientes e não presta contas do recurso. A reportagem falou com duas famílias que teriam pacientes supostamente enganados por uma servidora. Os familiares confirmaram a situação, mas pediram para que os nomes dos envolvidos não fossem revelados no momento por se tratar de duas ações que já correm em segredo de justiça e temem ser penalizadas.

Existe ainda a denúncia contra um outro servidor que foi apurada pela atual gestão de que o profissional receberia “dinheiro por fora” para atender melhor pacientes com melhor situação financeira da família.

Tanto de um lado como outro, as denúncias são graves e merecem apuração célere por conta da Secretaria Estadual de Saúde e Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) por se tratar de pacientes especiais, que muitas vezes estão fragilizados e que se encontram no meio dessa “guerra” entre os servidores que denunciam e apoiam a atual gestão do Hosmac.

Related Articles