Edvaldo diz que atos do Dia 7 de Setembro agravaram a crise no País e Bolsonaro se autoisola

- Publicidade -

Por Assessoria 

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) disse que as manifestações realizadas ontem, 7, em todo o País foram representativas, mas não democráticas. O parlamentar disse que pedir o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal (STF) é um atentado contra o estado democrático de direito.

“O presidente da República levou seus devotos às ruas. Acho que foram representativos, mas não foram atos democráticos. A bandeira principal não foi discutir o Brasil, mas discutir o fechamento do Supremo Tribunal Federal e do Congresso Nacional. A gravidade do momento que nós estamos vivendo precisa estar presente entre nós. Um parlamentar achar normal o conteúdo dos atos do 7 de Setembro é a mesma coisa que chegar aqui na tribuna e pedir o fechamento da Assembleia”, disse o deputado acreano.

- Publicidade -

Edvaldo Magalhães disse ainda que a terça-feira começou com manifestações pró-governo, mas encerrou o dia com o presidente Bolsonaro mais isolado, do ponto de vista político e caminha para o impeachment.

“Começou com manifestações e terminou o dia o presidente mais isolado ainda. Ontem, terminou o governo Bolsonaro. Os tucanos saíram do ninho. Vamos ter o aprofundamento da crise. Agora vai ser a escalada da crise política, econômica e social. É um momento de extrema gravidade”, ressaltou.

Related Articles