Mundo está à beira da ‘catástrofe climática’, alerta líder da ONU

- Publicidade -

A falta de ação agora sobre a mudança climática resultará em consequências “catastróficas” para o mundo, advertiu o líder das próximas negociações climáticas das Nações Unidas.

“Não acho que haja outra palavra para isso”, disse Alok Sharma, ministro britânico encarregado da 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP26), ao jornal britânico The Observer, alertando que as negociações anuais, que ocorrerão em Glasgow, na Escócia, em novembro, estaria entre as últimas chances de limitar o aquecimento global e salvar vidas.

“Este vai ser o aviso mais forte de que o comportamento humano está acelerando o aquecimento global de forma alarmante e é por isso que a COP26 tem que ser o momento em que acertarmos. Não podemos esperar dois anos, cinco anos, 10 anos — este é o momento”, disse ele.

- Publicidade -

Os comentários de Sharma foram feitos um dia antes de o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) divulgar sua última avaliação, que levou anos para ser feita e provavelmente fornecerá a visão mais conclusiva até então sobre a extensão das mudanças climáticas causadas pelo homem.

O IPCC — autoridade científica global sobre mudança climática — alertou em um relatório especial histórico de 2018 que o mundo só tem até 2030 para reduzir drasticamente sua dependência de combustíveis fósseis e evitar que o planeta alcance o limiar crucial de 1,5 graus Celsius acima do período pré-níveis industriais.

O marcador de 1,5 grau foi identificado como um ponto de inflexão importante além do qual o risco de secas extremas, incêndios florestais, inundações e escassez de alimentos aumentará dramaticamente.

As consequências do aquecimento global já eram claras, disse Sharma: “Você está vendo diariamente o que está acontecendo em todo o mundo. O ano passado foi o mais quente já registrado, a última década foi a mais quente já registrada.”

Só nesta semana, ocorreram incêndios graves na Grécia, Turquia, Sibéria e nos Estados Unido , enquanto uma enchente que ocorre uma vez a cada século tem causado estragos em partes da Europa e da Ásia nas últimas semanas.

Um verão de calor recorde no sul da Europa desencadeou incêndios florestais devastadores que devastaram florestas, casas e destruíram infraestruturas vitais da Turquia à Espanha. E neste verão, inundações devastadoras na Europa Ocidental engolfaram casas e ruas, e ceifaram dezenas de vidas.

“Não acho que estamos sem tempo, mas acho que estamos chegando perigosamente perto de quando podemos estar sem tempo. Veremos [do IPCC] um aviso muito, muito claro que, a menos que ajamos agora, infelizmente ficaremos sem tempo”, disse Sharma ao The Observer.

Muitos países se comprometeram a se tornar neutros em carbono até meados do século e várias das maiores economias do mundo, incluindo os EUA, a União Europeia, o Reino Unido e o Canadá, reformularam suas metas de corte de emissões de curto prazo.

No entanto, a ONU alertou que os detalhes sobre como eles planejam chegar lá permanecem vagos.

Por CNN Brasil

Related Articles