Edvaldo se solidariza com marceneiros de Brasileia que foram alvos de operação do governo federal

- Publicidade -

 

Assessoria

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) repudiou a operação deflagrada pela Polícia Federal, Exército e fiscais do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente, na última semana, que prendeu 11 marceneiros que atuam no Polo Moveleiro de Brasileia, sob a acusação de utilizarem madeira ilegal.

- Publicidade -

O parlamentar explicou que a demora na liberação das licenças pelo Instituto de Meio Ambiente do Acre colocou os trabalhadores em situação difícil.

“Apreenderam madeiras e conduziram à prisão 11 marceneiros de Brasileia. Tiveram que tirar a roupa, ficaram presos de cueca, foram conduzidos em camburão para uma audiências de custodia e só saíram quando pagaram a fiança”, repudiou o parlamentar a respeito da operação.

Edvaldo disse que “agora, para renovar uma licença, o processo entra e fica um ano parado e quando chega a fiscalização… A renovação deveria ser automática, porque ele já fez o primeiro processo”.

O parlamentar também defendeu que pequenos agricultores tenham o processo de licenciamento para o aproveitamento da madeira agilizado. Ele destacou que são eles os que abastecem as marcenarias, com a matéria-prima.

Related Articles