Bank of America diz que bitcoin pode impulsionar economia de El Salvador

- Publicidade -

Bank of America citou, em nota publicada na última semana, alguns possíveis benefícios da “Lei Bitcoin” aprovada em El Salvador, que torna a criptomoeda uma moeda de curso legal no país. Para o banco, segundo análise divulgada pela Business Insider, a economia do país centroamericano poderá se beneficiar em pelo menos três frentes com a adoção do bitcoin.

As remessas internacionais para El Salvador por salvadorenhos que vivem em outras localidades respondem por 24% do PIB do país. Segundo o Bank of America, o bitcoin pode reduzir o custo dessas transações. Pelo sistema bancário tradicional, as taxas chegam a até 10% dos valores enviados, e seriam muito menores com o uso da criptomoeda. Além disso, o envio com o uso da tecnologia blockchain é muito mais rápido.

O Bank of America também cita o fato de que 70% da população adulta de El Salvador não têm contas bancárias. Para o banco, o bitcoin é uma forma de dinheiro digital que pode ser fácil de usar, por exemplo através de aplicativos para smartphones. “Por essa razão, democratizar o acesso a pagamentos eletrônicos com o bitcoin é uma forma de progresso”.

- Publicidade -

Além disso, o banco ainda afirma que a adoção do bitcoin em El Salvador pode levar empresas norte-americanas a investir no país, já que os EUA é um grande polo para indústria de criptoativos e blockchain e pode encontrar vantagem na nova abordagem do país centroamericano. “Pode existir investinmento da Strike (plataforma de pagamentos), de mineradoras de bitcoin, de fabricantes de caixas eletrônicos, entre outros tipo de empresa”, diz o Bank of America.

As remessas internacionais para El Salvador por salvadorenhos que vivem em outras localidades respondem por 24% do PIB do país. Segundo o Bank of America, o bitcoin pode reduzir o custo dessas transações. Pelo sistema bancário tradicional, as taxas chegam a até 10% dos valores enviados, e seriam muito menores com o uso da criptomoeda. Além disso, o envio com o uso da tecnologia blockchain é muito mais rápido.

O Bank of America também cita o fato de que 70% da população adulta de El Salvador não têm contas bancárias. Para o banco, o bitcoin é uma forma de dinheiro digital que pode ser fácil de usar, por exemplo através de aplicativos para smartphones. “Por essa razão, democratizar o acesso a pagamentos eletrônicos com o bitcoin é uma forma de progresso”.

Além disso, o banco ainda afirma que a adoção do bitcoin em El Salvador pode levar empresas norte-americanas a investir no país, já que os EUA é um grande polo para indústria de criptoativos e blockchain e pode encontrar vantagem na nova abordagem do país centroamericano. “Pode existir investinmento da Strike (plataforma de pagamentos), de mineradoras de bitcoin, de fabricantes de caixas eletrônicos, entre outros tipo de empresa”, diz o Bank of America.

Por Exame

Related Articles