No Congresso, Perpétua denuncia que mulher morreu de parto em Marechal Thaumaturgo

Por Bruna Mello 

A deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) denunciou nesta terça-feira, 1, durante sessão no Congresso Nacional, a morte de uma mulher grávida no município de Marechal Thaumaturgo. A parlamentar afirma que a grávida morreu no parto por falta de assistência médica.

Segundo Perpétua, o município está sem médicos há quinze dias. “A população está preocupada porque não medicamento no hospital público estadual e não tem médicos há quinze dias. Em plena pandemia, temos uma população sofrendo por falta de médico e remédios. Uma mulher morreu por falta de atendimento. Imaginem: Mulheres morrendo de parto no interior da Amazônia, especificamente em Marechal Thaumaturgo”.

A parlamentar chamou atenção do Governo Federal que não realiza manutenção e/ou reforma do único aeródromo da cidade. O local está sem funcionar há mais de quatro meses.

“O governo federal não providenciou, até hoje, a manutenção e reforma de lá. É uma cidade pequena, mas de um povo hospitaleiro e trabalhador, que está sofrendo porque o Governo Federal esqueceu aquela população”.

Por fim, a deputada falou da urgência da contratação dos médicos brasileiros formados no exterior.

“O governo do Estado não tem dado conta de colocar médicos para atender essas demandas. É urgente a contratação dos médicos brasileiros formados no exterior. Uma mulher não pode morrer no parto por falta de médicos”.

_Assessoria_

Related Articles