Médico acreano morto pelo “amigo” na Bahia pagava por arma que foi usada no crime

O médico acreano Andrade Lopes Santana, 32 anos, morto em Feira de Santana, interior da Bahia, negociou a compra de uma arma com o suspeito de ter cometido o crime, Geraldo Freitas Junior. A informação foi passada pelo delegado Roberto Leal, coordenador de polícia da região, ao G1 da Bahia nesta quinta-feira (10). Os dois estudaram juntos na Bolivia.

Andrade Lopes foi encontrado morto no dia 28 de maio, no rio Jacuípe, na cidade de São Gonçalo dos Campos, a cerca de 120 quilômetros de Salvador. Ele desapareceu no dia 24 de maio, quando saiu de Araci, onde morava e trabalhava, com destino a Feira de Santana, que fica a 23 quilômetros de São Gonçalo dos Campos.

Segundo os peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT), foi constatado um disparo de arma de fogo na nuca e uma corda no braço amarrada a uma âncora para o corpo não emergir nas águas do Rio Jacuípe.

De acordo com a polícia, o médico tinha acertado a compra da arma com o amigo por R$ 12 mil, de forma parcelada. Andrade Lopes, inclusive, já tinha feito o pagamento de R$ 9 mil e ainda ia pagar uma última parcela no valor de R$ 4 mil.

Segundo o delegado, o médico já tinha tomado aulas para se tornar um atirador e aguardava a autorização de posse de arma para pegar o revólver com Geraldo Freitas Junior.

Por Ac24horas

Related Articles