Senadores da CPI acionam Polícia do Senado contra colunista da Folha

Por Marcelo Montanini , Victor Fuzeira, Metropóles.com 

A pedido de bolsonaristas, a Polícia do Senado Federal abriu investigação contra o sociólogo Celso Rocha de Barros, colunista do jornal Folha de S.Paulo, por causa do artigo Consultório do Crime, publicado no dia 9 de maio.

Os pedidos foram feitos pelos senadores Eduardo Girão (Podemos-CE) e Luiz Carlos Heinze (PP-RS), apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na CPI da Covid. A informação foi confirmada ao Metrópoles pela assessoria de imprensa de Girão.

Ambos foram citados no artigo de Barros, que faz alusão ao Escritório do Crime, grupo de assassinos de aluguel que atua no Rio de Janeiro. O ex-policial Adriano da Nóbrega, morto em fevereiro de 2020, fazia parte desse grupo.

“Falando em Queiroz, se no Rio de Janeiro Bolsonaro era amigo do chefe da milícia ‘Escritório do Crime’, na CPI é defendido pelo quepodemos chamar de ‘Consultório do Crime’, um grupo de senadores que buscam tumultuar a investigação mentindo sobre medicina. Seus principais representantes são Eduardo Girão (Podemos-CE) e Luiz Carlos Heinze (PP-RS)”, escreveu Barros, no artigo.

“Girão e Heinze mentem sobre a eficácia da cloroquina, mas o curandeirismo presidencial não é o principal crime que tentam acobertar”, acrescentou o sociólogo.

Related Articles