CPI da Covid: Senadores querem saber quem do governo está por trás da difusão do uso da cloroquina

Por Marcela Mattos, Por G1

Após os depoimentos nesta semana de dois ex-ministros (Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich) e do atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, senadores da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid buscarão identificar as digitais dos responsáveis no governo federal por compra, distribuição e estímulo ao uso de cloroquina, cuja ineficácia para o tratamento da doença é cientificamente comprovada.

Na noite desta quinta-feira (6), uma série de requerimentos de informações sobre produção, distribuição e custos da cloroquina nos últimos anos foram direcionados a órgãos envolvidos no processo, como o Exército e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que devem apresentar uma resposta à comissão em um prazo de dez dias úteis.

Além disso, o próprio ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, depois de pressionado, admitiu à comissão de inquérito que a cloroquina — originalmente adotada para o tratamento da malária — pode provocar arritmia cardíaca.

Na última quinta-feira (6), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que produz o medicamento, encaminhou ofício à comissão dizendo que o remédio visa o combate à malária e que a utilização da cloroquina para o enfrentamento da pandemia “é uma decisão do Ministério da Saúde”.

Related Articles