No aniversário de Jordão, único médico que atendia no Hospital da cidade está afastado do trabalho com suspeita de covid

O problema na saúde pública de Jordão, município do interior do Acre, mais especificamente na parte que diz respeito ao governo estadual, caminha para o colapso, caso o governador Gladson Cameli e sua equipe não intervenha, de modo urgente. No grau máximo de urgência, para ontem, como é dito no velho e bom adágio popular.

Depois do triste episódio de um paciente que foi levado numa carroceria de uma caminhonete para o aeroporto debaixo de chuva, haja vista que há cerca de três  anos não tem ambulância na cidade. O hospital agora está sem médico literalmente. O único profissional que estava atendendo duas vezes na semana e nos demais dias ficava sobreaviso, está afastado com suspeita de covid.

O médico contrato pelo município atende os pacientes com suspeita de covid-19, de domingo a domingo, contudo, devido um acordo, ficou acertado que duas vezes na semana, no período da tarde, ele atenderia no Hospital da Família Marcio Rogério Camargo.

Segundo informações, na tarde de terça-feira (27), uma índia chegou da aldeia, com perfuração de arma branca nas costas. Devido à gravidade da perfuração, foi necessário recorrer ao TFD, mas não tinha médico na unidade de saúde para fazer a regulagem e solicitar a transferência.

O caso não está sendo cotado de outra maneira, graças a bondade do médico Dr. Elielson Aguiar, que se encontrava na cidade e fez o procedimento necessário para que ela fosse levada para a capital. Contudo, amanhã, dia 29, Elielson viajava para Rio Branco, isto é, não terá ninguém que faça um atendimento em caso de urgência e emergência?

Já nesta quarta-feira, 28, uma criança que precisou de atendimento foi socorrida por uma médica sem o registro no Conselho de Medicina. Para evitar problemas a profissional, seu nome não será mencionado na matéria.  

A situação do Hospital Marcio Rogério Camargo é triste. No dia 23 de abril, o site Notícias da Hora, publicou uma matéria que destaca a precariedade do Hospital de média complexidade. Que via desde o fogão de cozinha, as máquinas da lavandeira que está parada, esperando um milagre para serem instaladas.

Nesse dia, na qual estamos publicando essa matéria,  Jordão faz 29 anos de emancipação política e o presente do governo do estado é o desprezo aos seus habitantes.

Related Articles