MPF processa vice-governador do AM e secretário de Saúde por fraudes em contrato milionário para gestão de unidades

Por G1 AM

O Ministério Público Federal (MPF) processou o vice-governador do Amazonas, Carlos Almeida Filho (PTB), e o secretário estadual de Saúde, Marcellus Campelo, por fraudes no contrato de gestão de duas unidades de saúde em Manaus: a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Campos Salles e Hospital Delphina Aziz.

A ação de improbidade administrativa foi apresentada à Justiça Federal e também inclui dois ex-secretários estaduais de Saúde: Rodrigo Tobias e Simone Papaiz, além do Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH) e o representante do instituto, José Carlos Rizoli.

A ação inclui, ainda, pedido liminar de bloqueio de bens dos envolvidos no valor de R$ 32.052.691,04, que equivale ao prejuízo causado ao patrimônio público, conforme apuração da Controladoria-Geral da União (CGU).

A defesa do ex-secretário Rodrigo Tobias informou que ainda não foi notificada sobre a ação. O secretário Marcellus Campelo também informou, por meio da SES, que aguarda a notificação para poder se manifestar no processo.

Em nota, o vice-governador Carlos Almeida afirmou que o processo licitatório de contratação foi devidamente avaliado pela Procuradoria Geral do Estado, e a vencedora foi contratada em março de 2019. Na época, ele assumia o cargo de secretário estadual de Saúde.

“Mas ressalto que não fui responsável por qualquer acompanhamento de pagamentos ou fiscalização, pois já não era mais ordenador de despesas da Pasta da Saúde, desde abril de 2019, quando assumi a Casa Civil”, disse, em nota.

Related Articles