domingo, abril 11, 2021

Líder da oposição na Aleac diz que governo está ‘desorientado’ e declarações de Rocha merecem investigação

 

Por Assessoria

O líder da oposição na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) disse durante a sessão online desta terça-feira (6) que as declarações do vice-governador dadas ontem (5) à imprensa são graves e carecem de investigação. O parlamentar afirmou também que a crise entre Major Rocha e Gladson Cameli “extrapolam o simples debate e embate político”.

“A entrevista do vice-governador foi um disparar de acusações graves que merecem apuração. Abriu-se uma disputa pra ver quem primeiro vai bater o recorde da crise entre governador e vice que chegou ao ápice na época de Edmundo Pinto e Romildo Magalhães. A crise se aprofundou tanto que terminou, como terminou. Há uma escalada de endurecimento na relação política que extrapola o simples debate e embate político. O governo se afoga numa crise de reconstrução de uma base na sociedade e na gestão que não se completa, que não se estrutura”, disse o líder oposicionista.

Em outra frente de análise, Edvaldo Magalhães lembrou a entrevista concedida pelo governador Gladson Cameli (PP) ao jornalista Luís Carlos Moreira Jorge. Ao jornalista, Gladson anunciou rompimento com Rocha e com o senador Sérgio Petecão, prometendo demitir do governo todos os indicados do senador do PSD. Magalhães lembrou que Gladson havia dito que não politizaria a pandemia com assuntos relacionados às eleições de 2022, mas acabou antecipando o debate.

“Abriu com essa atitude a disputa eleitoral que ele dizia que não queria tratar este ano, uma contradição. De lá pra cá, mesmo com a Semana Santa no meio, não foi suficiente para arrefecer os ânimos. A semana começou com o crescimento da escalada da crise política”, destacou o deputado do PCdoB.

Ao final, Edvaldo frisou que àqueles que se juntaram para derrotar a Frente Popular em 2018, estão todos dispersos. Há um racha sem precedentes nas forças que elegeram Gladson sob a ótica de alavancar o desenvolvimento social, gerindo bem os recursos disponíveis. Entretanto, nada disso aconteceu, menciona o deputado.

“Anuncia [Gladson] a cada dia uma posição e desdiz dois, três dias da posição anunciada. Está desorientado o governo. Se atola cada vez mais na areia movediça da crise política. Os que se juntaram para derrotar a Frente Popular estão espalhados. É grave esse momento que estamos vivendo e fica desesperador quando aqueles que se juntaram para dar garantia da boa gestão, disputam cada um querendo o olho do outro”.

Popular