domingo, abril 11, 2021

Dois aeroportos do Acre serão concedidos à iniciativa privada na quarta-feira

Ascom MInfra 

O aeroporto Internacional Plácido de Castro, em Rio Branco, e o aeroporto de Cruzeiro do Sul, ambos no Acre, serão leiloados e concedidos à iniciativa privada nesta quarta-feira (7) pelo Ministério da Infraestrutura, por meio da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

Eles estão incluídos no Bloco Norte da 6ª rodada de concessões aeroportuárias, junto com os aeroportos de Manaus, Tabatinga, Tefé, Porto Velho e Boa Vista.

A previsão do Governo Federal é de arrecadar pelo menos R$ 44 milhões em outorgas com este bloco que contempla sete terminais. Será considerado vencedor o consórcio que oferecer o maior valor de outorga para todo o bloco. E a previsão total de investimento nesses terminais é de R$ 1,68 bilhão. O prazo de concessão é de 30 anos, período em que devem ser criados quase 25 mil empregos.

TURISMO – A importância do Bloco Norte se traduz na sua vocação econômica voltada ao turismo ecológico, turismo de negócios, táxi aéreo e transporte de cargas para a exportação. Além disso, a região serve como base de apoio aos municípios vizinhos, contribuindo para a integração regional e nacional.

Outros dois blocos também vão a leilão no mesmo dia: O Bloco Sul e o Bloco Central. O primeiro é formado pelos aeroportos de Curitiba (PR); Foz do Iguaçu (PR); Londrina (PR); Bacacheri, também em Curitiba (PR); Navegantes (SC), Joinville (SC); Pelotas (RS); Uruguaiana (RS); e Bagé (RS). Já o Bloco Central contemplará os aeroportos de São Luís e Imperatriz (MA); Teresina (PI); Petrolina (PE); Palmas (TO); e Goiânia (GO).

O investimento total nos três blocos, já considerando os R$ 1,68 bi no Bloco Norte, supera os R$ 6 bilhões, sendo R$ 1,8 bi no Bloco Central, e R$ 2,8 bi no Bloco Sul. Em um único dia, o Governo Federal vai repassar a mesma quantidade de terminais aeroportuários do que o total atualmente concedido (22).

INFRA WEEK – Além dos leilões dos 22 aeroportos, o Governo Federal também realizará a concessão da Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol), nesta quinta-feira (8), e o arrendamento de 5 terminais portuários, na sexta-feira (9). A concessão do trecho de 537 quilômetros da Fiol vai garantir R$ 3,3 bilhões de investimentos, sendo R$ 1,6 bilhão para a conclusão das obras. O prazo de concessão será de 35 anos. Já o arrendamento dos quatro terminais no Porto de Itaqui (IQI03, IQI11, IQI12 e IQI13), no Maranhão, e um no Porto de Pelotas (PEL01), no Rio Grande do Sul, vão gerar mais de R$ 600 milhões em melhorias.

No total, os 28 leilões vão injetar mais de R$ 10 bilhões em investimentos no Brasil. Ou seja, em apenas 3 dias, o MInfra vai assegurar um montante superior ao orçamento da Pasta para um ano inteiro – em torno de R$ 7 bilhões. Além disso, essas concessões vão gerar mais de 200 mil empregos, de forma direta, indireta e efeito-renda, ao longo dos contratos de arrendamento e concessões.

PROGRAMA DE CONCESSÕES – Em dois anos, o programa de concessões do MInfra já leiloou 41 ativos e contratou R$ 44 bilhões em investimento – e outros R$ 13 bilhões de outorga -, garantindo a ampliação da logística de transportes do Brasil. Em 2021, a expectativa é sejam concedidos mais de 50 empreendimentos, o que garantiria mais R$ 140 bilhões para o setor. A expectativa da Pasta é chegar até o final de 2022 com a contratação de R$ 250 bilhões em infraestrutura – mais de 40 vezes o orçamento público para investimentos na área por ano.

– Sonora do secretário nacional de Aviação Civil do Ministério da Infraestrutura, Ronei Glanzmann: http://we.tl/t-SDzrV8jmEo

Popular