sexta-feira, abril 16, 2021

Acre vai receber 8000 mil cestas básicas da Ação da Cidadania da campanha do “Brasil Sem Fome”

Lançada no último dia 18 de fevereiro, a ação ininterrupta vai beneficiar principalmente aqueles brasileiros que estão vivendo abaixo da linha da pobreza e da pandemia do Coronavírus

Rio de Janeiro, 26 de fevereiro de 2021 – Diante do atual cenário em que o país vive e com o intuito de minimizar a situação da fome, a Ação da Cidadania vai doar no começo da próxima semana, 01 de março, 8.000 mil cestas básicas no estado do Acre, isso representa 80 toneladas de mantimentos. As doações já são reflexo da campanha que foi lançada no último dia 18 de fevereiro o “Brasil Sem Fome”, que seguirá de forma contínua até julho.

Desde o ano passado a ONG vem fazendo ações ininterruptas com o mesmo objetivo. As cestas entregues minimizam uma situação pontual – como a carência alimentar imediata – e ajudam a garantir condições mínimas de quem passa fome, mas é preciso muito mais. A Ação da Cidadania entende que estas doações vão ajudar e suprir a necessidade do momento, mas é necessário que o governo pense a longo prazo e desenvolva políticas públicas mais eficientes para que isso não volte a acontecer.

“Pesquisas recentes dão conta que 63 milhões de brasileiros estão vivendo abaixo da linha da pobreza – o que é inadmissível, após um ano onde a pandemia do coronavírus afetou a vida de milhares de pessoas, e que, dia após dia vem afetando ainda mais aumentando ainda mais estes números, não podemos compactuar com isso, por isso precisamos ajudar”, destacou Daniel Souza, presidente do conselho da ONG Ação da Cidadania e filho do Betinho, fundador da entidade.

O Brasil Sem Fome é uma campanha ininterrupta, que criou desta vez um site exclusivo (https://www.brasilsemfome.org.br/) para o recolhimento das doações e sem pontos fixos de coleta, por conta da pandemia. A campanha vai contar com o apoio da Rede Brasil do Pacto Global, programa da ONU que promove os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) entre as empresas, e dentro da parceria irá mobilizar o setor empresarial para contribuir com a causa.

“A ideia de criar campanhas ininterruptas é tentar dar um pouco mais de qualidade de vida para os brasileiros. Visto que, além da falta de alimentos, já lhes foi privado também, a dignidade. Além de apoiar às famílias que mais necessitam, a intenção do nosso trabalho é orientar um desenvolvimento de planos de governo comprometidos com a temática; oferecer suporte teórico sobre políticas públicas para lideranças comunitárias; apoiar as ações desenvolvidas e alertar a população brasileira sobre o contexto alarmante de insegurança alimentar e nutricional do país. Pois, enquanto as crises não se solucionam, as pessoas precisam do nosso apoio, afinal, como diria Betinho, quem tem fome, tem pressa”, diz Rodrigo Kiko Afonso, diretor executivo da Ação da Cidadania.

Dados da POF – Pesquisa de Orçamentos Familiares

A partir dos dados apontados pela Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), 2017-2018 divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Ação da Cidadania, preocupada com a situação, já apresentava informações de como tentar mudar esta realidade, pois, segundo o estudo, mais de 10,3 milhões de pessoas já vivem em domicílios em que houve privação severa de alimentos e desde o ano passado o Brasil já dava indícios que voltaria a fazer parte do Mapa da Fome.

Dos 68,9 milhões de domicílios no Brasil, 36,7% estavam com algum grau de insegurança alimentar, atingindo 84,9 milhões de pessoas. E a prevalência nacional de segurança alimentar caiu para 63,3%, em 2017-2018, alcançando seu patamar mais baixo.

Nestes quase 28 anos de história é isso que a Ação da Cidadania vem fazendo, por meio de estudos, ações específicas, levantamento de dados que corroboram a inviabilidade econômica no que tange a fome no Brasil. E com o objetivo de subsidiar o gestor com informações pertinentes e articuladas, vem cobrando políticas públicas, pois elas têm o papel de implementar estratégias importantes para seu efetivo funcionamento e monitoramento, porém isso tem que acontecer em comum acordo com todas as partes envolvidas, para que sua criação e avaliação deem resultados.

No fim do ano passado, a Ação da Cidadania criou uma cartilha onde se discute estratégias avaliativas de Segurança Alimentar e Nutricional em todo o país. Diante de tantos desafios, conquistas e projetos nas dimensões econômica, social e até mesmo ambiental, a Agenda Betinho 2020 reforça ainda mais o compromisso da criação de políticas públicas.

“Com 40 propostas, o objetivo do documento é contribuir com a garantia, desenvolvimento e fortalecimento das políticas públicas municipais de Segurança Alimentar e Nutricional em todo o Brasil, além de ser uma forma de ampliar as práticas que a Ação da Cidadania vem fazendo com foco no compartilhamento da gestão pública, divulgando suas atividades e os caminhos de melhoria para seu desempenho”, finaliza o diretor executivo.

Sobre a Ação da Cidadania    

  

A Ação da Cidadania foi fundada em 1993 pelo sociólogo Herbert de Souza, conhecido como Betinho, com o intuito de combater a fome e a desigualdade socioeconômica em nosso país e ajudar os mais de 32 milhões de brasileiros vivendo abaixo da linha da pobreza naquele ano. Desde sua criação, a ONG deu início a uma série de iniciativas, sendo o Natal Sem Fome a mais célebre delas. Após dez anos sem ser realizada, a campanha voltou em 2017 e, em 2020, ganhou força total para ajudar os agora dezenas de milhões de brasileiros que vivem abaixo da linha da pobreza, segundo dados do Cadastro Único do Governo Federal.    

Contatos para a imprensa   

Approach Comunicação   

Daniel de Oliveira   

(11) 3846-5787 • r 27   

Vantuyl Barbosa   

(11) 3846-5787 • r 44 - (11) 9.6327-5781   

Popular