segunda-feira, abril 12, 2021

Sindmed-AC emite nota de solidariedade a médicos investigados e disponibiliza assessoria jurídica

Após médicos do Hospital do Juruá terem suas contas bancárias bloqueadas pela Justiça Federal devido investigação de plantões indevidos, o Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) emitiu uma nota de solidariedade e disponibilizou a assessoria jurídica da entidade para a defesa deles.

“O bloqueio dos seus vencimentos, determinado pela Justiça, vem lhes acarretando transtornos, que podem beirar ao risco de morte de profissional, que está realizando tratamento de saúde e possui procedimento que só pode ser realizado com a quitação financeira do procedimento”.

A nota destaca que alguns médicos estão passando por constrangimentos devido aos bloqueios, inclusive sem recursos para comprar o essencial, como alimentos.

“É importante assinalar que os profissionais em citados estão colocando suas próprias vidas em risco, durante a pandemia pelo novo coronavírus, a fim de salvarem vidas. Esta entidade, que acredita na Justiça, roga que haja celeridade no inquérito. Os diretores sindicais ainda pedem que a opinião pública possa oferecer o benefício da dúvida a todos os médicos acusados, sem condená-los antes de uma sentença transitada em julgado, porquanto são membros da sociedade cruzeirense, moradores e filhos da cidade. Repudiamos qualquer tipo de pré-julgamento, uma vez que todos já estão sofrendo imensa pressão psicológica, não bastando o estresse já inerente ao trabalho e à falta de condições necessárias para o exercício da medicina em tempos de guerra”, diz trecho da nota.

Leia a Nota:

Nota de Solidariedade

A diretoria do Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) presta sua solidariedade aos médicos do Hospital Regional do Juruá, envolvidos em uma investigação na esfera judicial e coloca desde já à disposição a sua assessoria jurídica.

O bloqueio dos seus vencimentos, determinado pela Justiça, vem lhes acarretando transtornos, que podem beirar ao risco de morte de profissional, que está realizando tratamento de saúde e possui procedimento que só pode ser realizado com a quitação financeira do procedimento.

Outros profissionais estão, literalmente, sem o recurso alimentício, cujo bloqueio foi realizado sem terem direito à defesa prévia em relação ao objeto de sua acusação.

Tal situação compromete de forma emocional todos os envolvidos, afetando diretamente o atendimento ao público, uma vez que o constrangimento e a tensão gerada pela falta de meios necessários para o exercício da profissão acabam se somando ao sentimento de agonia, que perdurará até a resolução final do caso.

É importante assinalar que os profissionais em citados estão colocando suas próprias vidas em risco, durante a pandemia pelo novo coronavírus, a fim de salvarem vidas.

Esta entidade, que acredita na Justiça, roga que haja celeridade no inquérito. Os diretores sindicais ainda pedem que a opinião pública possa oferecer o benefício da dúvida a todos os médicos acusados, sem condená-los antes de uma sentença transitada em julgado, porquanto são membros da sociedade cruzeirense, moradores e filhos da cidade.

Repudiamos qualquer tipo de pré-julgamento, uma vez que todos já estão sofrendo imensa pressão psicológica, não bastando o estresse já inerente ao trabalho e à falta de condições necessárias para o exercício da medicina em tempos de guerra.

A diretoria do Sindmed-AC

Popular