Gladson diz que banca prejuízo se Bocalom cortar subsídio do transporte para estudantes do Estado

Com a polêmica em torno do subsídio da passagem de ônibus que poderá ser cortado para os estudantes da Rede Estadual e Universitários a partir de 2021 em Rio Branco, após a posse do prefeito eleito Tião Bocalom, que deverá encaminhar à Câmara de Vereadores um projeto de lei concedendo o benefício apenas para os alunos da Rede Municipal, o governador Gladson Cameli afirmou na manhã desta sexta-feira, 4, que se for oficializada a mudança, o Estado bancará a diferença para que ninguém saia prejudicado.

“Se de fato isso ocorrer e for oficializado, não vou deixar nossos estudantes na mão. Vou fazer um levantamento e bancar essa diferença”, disse o chefe do executivo ao ac24horas.

Atualmente, a passagem de ônibus custa para o usuário normal R$ 4, mas cerca de 60 mil estudantes pagam R$ 1, devido ao subsídio da prefeitura. Somente cerca de 10 mil estudantes fazem parte da Rede Municipal de ensino e estes seriam apenas os beneficiados na nova proposta de Bocalom. Outros 50 mil perderiam o benefício e passariam a pagar R$ 4.

Apesar de a futura gestão da prefeitura sinalizar com essa mudança, o clima entre os vereadores que da nova legislatura não é o mais diplomático sobre o assunto. O ac24horas apurou junto aos parlamentares da Casa que é muito difícil essa proposta vingar. “Mal assumimos e teremos que votar um abacaxi desse. Acho muito difícil essa proposta passar. Ninguém que ser ser taxado de vilão dos estudantes. São mais de 50 mil prejudicados na história”, disse um vereador que pediu para não se identificar.

Por Marcos Venício, ac24horas.com

Related Articles