quarta-feira, fevereiro 24, 2021

Após resultado das eleições, Rodrigo Damasceno diz que “a chapa ideal seria unir direita e esquerda”.

Após o resultado das eleições municipais de 2020,  o ex-prefeito Rodrigo Damasceno , de 36 anos, concedeu uma entrevista ao Portal Tarauacá, conduzida pelo editor do site , o jornalista Leandro Matthaus. O médico e político participou ativamente da campanha da mãe, a empresária Bebé Damasceno ( PSDB), que concorreu como vice na chapa do Abdias da Farmácia (DEM). Ficando em segundo lugar no pleito. 

O ex- gestor governou Tarauacá no ano  do centenário de emancipação política e administrativa do município. De 2013 a 2016.  Perdeu a reeleição, mas era cotado, segundo as pesquisas,  para ser eleito no pleito desse ano. Contudo, a esposa dele, a  fisioterapeuta Ursula Prado, se opôs a candidatura do médico novamente ao cargo de prefeito.  

Entre seguir unido a mãe de seus filhos e buscar ser novamente gestor, Damasceno preferiu ficar perto dos filhos e da esposa. Embora, segundo ele, não foi um decisão fácil deixar de concorrer ao cargo e fazer um mandato diferente do primeiro, corrigir as falhas e deixar um legado ainda melhor. 

Sobre seu futuro político, Damasceno diz que no momento não pretende ser candidato, mas continuará atuando nos debates políticos e manterá o trabalho da Clínica São Bernardo Solidária. 

Portal Tarauacá: Sr. liderava as pesquisas com mais de 30% da preferência do eleitorado, mas decidiu renunciar a disputa pela reconstrução de sua família. Como foi ter que fazer essa escolha?

Rodrigo: Leandro, não foi uma decisão fácil. Gostaria de ter sido candidato. Para dar à população de Tarauacá uma oportunidade de consertar a história. Mas precisava preservar minha família. Sou apaixonado pelos meus filhos. E só em pensar em ficar longe deles, seria algo que não conseguiria conviver.

Portal Tarauacá:  O Sr. liderava um grupo e de repente mudou para um outro projeto político que tinha um outro candidato. Como foi ter que lidar com isso e quais as consequências políticas para formar novas alianças no futuro?

Rodrigo Damasceno: Também não foi fácil. Não queria que a minha mãe fosse candidata e tentei até onde pude consertar essa situação, mas não consegui. E a partir do momento que não tinha mais como voltar, entrei de corpo e alma, pois se tratava da minha mãe e mãe só temos uma

Portal Tarauacá: Se o Abdias tivesse vencido a eleição, muitos diriam que foi graças ao seu apoio, mas com a derrota dele, qual é o peso disso para o futuro político do Sr.?

Rodrigo Damasceno: O Abdias é um cara do bem, acho que ele entra com força para o campo das lideranças políticas de Tarauacá. Nessa eleição, ele teve a oportunidade de ficar conhecido nos lugares que ainda não era. Por isso, vejo como um futuro promissor. Sobre meu futuro político, vejo que tem algo que o limita que se chama família. A Úrsula [mulher] é totalmente contra. Não vejo, nesse momento, a possibilidade de retornar como candidato.

Portal Tarauacá: Como foi ser o coordenador político de uma chapa com a sua mãe sendo candidata?

Rodrigo Damasceno: É melhor do que ser candidato. A pressão é menor. Tivemos algumas dificuldades por conta que uma parte do grupo que estava acostumado a trabalhar seguiu outro caminho e tivemos que formar novos quadros e aos 45 do segundo tempo. Hoje sou grato pelas pessoas que pude conhecer melhor e visualizar potências que ainda não conhecia. Sobre a eleição em si, vi que eu tenho uma dificuldade. Que ao meu ver fez a diferença nessa eleição. Não sou de fazer “operações” e pelo que escutamos nas ruas foi utilizado muito esse subterfúgio. Sei fazer campanha na luz e falando de propostas. Acho que algumas pessoas em Tarauacá deveriam repensar os motivos que levam a escolher um candidato. A consequência disso vem depois. Pois não se gasta algo que você depois não queira cobrar o preço do investimento.

Portal Tarauacá: Na sua visão, qual seria a chapa ideal com sua saída da disputa para enfrentar a chapa da situação?

Rodrigo Damasceno: A chapa ideal, seria uma chapa que unisse direita e esquerda. Tiveram 13.101 votos que não aprovaram o grupo político que está na condução atual da administração de Tarauacá. Eles ganham a eleição com pouco mais de 5461 votos. O problema é que nós fomos divididos demais e subestimamos o poder de “operação” do outro grupo. Se somar os votos do Abdias e Batista dá um total de 9.130 votos. Esse cenário não tinha “operação” que desse jeito.

Portal Tarauacá: Nesses próximos quatro anos Rodrigo Damasceno vai se dedicar exclusivamente à medicina ou vai se manter na vida política de forma ativa?

Rodrigo Damasceno: Meu pensamento é esse Leandro. Não sou de fugir a um embate. Mas também não sou de provocar por conta própria. Seguirei morando em Tarauacá, fazendo meu trabalho de médico e minhas ações da clínica São Bernardo Solidária. A política passa, mas os bons propósitos ficam.

Portal Tarauacá: Qual sua opinião sobre a futura prefeita de TARAUACÁ, Maria Lucinéia (PDT)? E qual seria o conselho para ela no tocante a administração pública?

Rodrigo Damasceno: Faça política grande. Não persiga ninguém. E cuide de Tarauacá, sem pensar em um só grupo. Você vai ter uma gestão que vai enfrentar uma crise econômica pela frente. Pouco espaço para acomodar pessoas. Então o conselho que dou é que priorize investimentos, quadro técnico e esteja sempre aberta a ajudar a população carente via políticas sociais, pois vamos em breve ter muitas pessoas em dificuldade no nosso município com o fim do auxílio emergencial. E não esqueça que é seu CPF que estará junto com sua caneta, tenha sempre muito cuidado em tudo que for fazer.

Por fim, a tenho como sendo uma pessoa muito religiosa, deixo a mensagem que a irmã Nelda uma vez me deu:

“Senhor, dai-me força para mudar o que pode ser mudado…

Resignação para aceitar o que não pode ser mudado…

E sabedoria para distinguir uma coisa da outra.”

São Francisco de Assis

Portal Tarauacá: Defina em poucas palavras

Quem é Rodrigo Damasceno? Uma pessoa obstinada a fazer sempre o melhor.

O que é ser prefeito? Tarefa difícil para quem quer trabalhar direito.

Qual a lição de vida que você tirou após perder a eleição? Nada acontece em nossas vidas por acaso.

Família? Nosso maior patrimônio.

Prefeito? Tarefa difícil para quem quer trabalhar direito.

Um líder que te inspira? Ciro Gomes

Leandro Matthaus
Leandro Matthaus é graduado em Letras Português pela UFAC, radialista e narrador esportivo. Atuou nos sites Acrenoticias.com, Blog do Kaká, Tarauacá Agora, foi assessor de comunicação da Prefeitura de Tarauacá. No rádio, tem passagens pelas Rádio Nova Era FM 87,9 e Jordão FM 88.5 Cultural. Tem um programa na Rádio Juruá FM 100,9 (Programa Mistura Fina). Além de ser Vascaíno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Popular