terça-feira, março 2, 2021

Martín Vizcarra faz discurso de despedida após Congresso aprovar impeachment e deixa sede do governo do Peru

Por G1

O presidente do Peru, Martín Vizcarra, acatou nesta segunda-feira (9) a decisão do Congresso que o destituiu do cargo por “incapacidade moral” em processo de impeachment e anunciou que deixaria imediatamente o Palácio Presidencial. Ele fez um discurso de despedida na frente da sede do governo, em Lima.

O Congresso do Peru aprovou nesta segunda a destituição de Vizcarra ao final de seu segundo julgamento de impeachment em menos de dois meses. Ele foi denunciado por receber propinas quando era governador em 2014.

A moção para remover o presidente peruano superou os 87 votos necessários no Congresso. Foram 105 votos a favor da destituição.

Vizcarra afirmou que aceita a decisão do Congresso. “Não vou tomar nenhuma ação judicial, não quero que de forma alguma se possa entender que meu espírito de serviço ao povo foi apenas vontade de exercer poder”, acrescentou.

Aos 57 anos, Vizcarra tinha sobrevivido a uma votação anterior que objetivou afastá-lo em setembro – quando apenas 32 dos 130 parlamentares votaram por sua saída – e a uma tentativa de suspendê-lo em 2019.

“Toda a minha vida tenho agido com transparência e colocando todo o meu esforço, minha capacidade e meu coração a serviço do povo e vocês todos sabem disso”, declarou. Ele agradeceu “toda a equipe” que o acompanhou durante sua gestão, iniciada em março de 2018, bem como ao povo peruano por seu apoio.

Vizcarra negou ter recebido propinas

Vizcarra também negou o que chamou de alegações “infundadas” de que aceitou propinas de empresas que obtiveram contratos públicos quando ele era governador de Moquegua, região do sul do Peru. Ele acusou o Congresso de “brincar com a democracia”.

Presidente do Congresso assume governo

Com a resolução que declara a vacância da Presidência da República, o presidente do Congresso, Manuel Merino, assumirá nesta terça-feira (10) a chefia do governo até o fim do mandato atual, que termina em 28 de julho de 2021.

No processo anterior que objetivava afastá-lo, Vizcarra foi acusado de pressionar duas funcionárias do palácio de governo a mentir sobre um questionado contrato com um cantor.

Aprovação popular

As pesquisas mostram que 75% dos peruanos queriam a continuidade do governo, enquanto o Congresso enfrenta 59% de desaprovação, segundo a agência France Presse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Popular