terça-feira, outubro 20, 2020

MPAC e instituições planejam ações de prevenção ao desmatamento e combate a queimadas rurais na Regional Tarauacá-Envira

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) por intermédio da Promotoria de Justiça de Tarauacá, promoveu na quarta-feira, 15, reunião por meio de videoconferência com gestores do Governo do Estado e da Prefeitura, para discutir e planejar ações de prevenção ao desmatamento e combate a queimadas na área rural dos municípios da Regional Tarauacá-Envira.

A reunião foi coordenada pela promotora de Justiça Manuela Canuto de Santana Farhat, titular da Promotoria de Justiça de Tarauacá, e teve a participação do promotor de Justiça de Feijó, Daisson Gomes Teles, da diretora Executiva da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Vera Reis, da professora Sonayra Souza da Silva, integrante do Laboratório de Geoprocessamento Aplicado ao Meio Ambiente (LabGama), da Universidade Federal do Acre, do comandante do Batalhão do Corpo de Bombeiros na regional, Marcos Correa, da chefe do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente, Patrimônio Histórico e Cultural e Habitação e Urbanismo (CAOP-MAPHU), do MPAC, Vângela Nascimento, além de representantes do Instituto de Meio Ambiente do Acre e Defesa Civil em Tarauacá.

A promotora Manuela Canuto de Santana Farhat explica que o encontro permitiu um diagnóstico atual e mais preciso da situação, assim como traçar ações integradas de enfrentamento a essa problemática.

“A ordenação estratégica de ações voltadas ao combate às queimadas irregulares nas zonas rurais dos municípios de Tarauacá e Feijó é importante para obtermos um resultado mais efetivo na preservação do meio ambiente. Essa atuação coordenada do Ministério Público com os órgãos de proteção ambiental se mostra ainda mais salutar no atual momento de pandemia, causado pelo coronavírus, porquanto a poluição causada pelas queimadas pode agravar ainda mais a saúde pública, saturada pelo atendimento às vítimas da Covid-19”, disse a promotora.

Dados apresentados na reunião pela representante da Universidade Federal do Acre, revelam que as áreas desmatadas em 2019 nos municípios de Feijó e Tarauacá ultrapassaram os 100% da média dos desmatamentos dos últimos 10 anos. Nesse mesmo ano, o município de Tarauacá ocupou a 4ª posição em área queimadas, atrás somente de Sena Madureira, Feijó e Rio Branco. Além disso, em 2020, o município de Tarauacá já contabiliza 70% de focos de calor em relação ao mesmo período de 2019.

As instituições participantes afirmaram a disponibilidade e apoio às ações. Ficou encaminhado que próximas semanas será realizada reunião para tratar sobre as queimadas na zona urbana do município, e definição de data para atuação conjunta dos órgãos.

Andréia Oliveira – Agência de Notícias do MPAC

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Popular

Jordão: extração do látex da seringueira melhora renda de moradores da reserva extrativista; venda da borracha injetou sessenta mil na zona rural do município

Durante quase cem anos , final do séc. XIX e até  meados de 80 do séc. XX, a borracha, produto extraído do látex da...

Tarauacá: Grupo Tático prende cinco homens por envolvimento com o tráfico de drogas

Na sexta-feira, 03, a Polícia Militar, por meio do Grupo Tático de Tarauacá, braço da corporação para o enfrentamento do crime organizado, conseguiu prender...

Cel. Ulysses será o vice de Minoru Kinpara e Major coordenadorá a campanha do ex-reitor da Ufac

Pedro Valério continua presidente regional do PSL no Acre e as candidaturas do interior tanto para o legislativo, como para o executivo será coordenada...

Vereadores de Jordão apresentaram mais de 300 proposições legislativas em 2019

Os parlamentares de Jordão, no interior do Acre, concluem 2019 como um dos anos mais produtivos da história política da cidade. Os edis apresentaram...