segunda-feira, abril 12, 2021

Jenilson pede que Gladson não terceirize saúde; “para contratar já temos o decreto de calamidade”, diz deputado.

 

A pandemia do Covid-19, vírus causador do Coronavirus, ficou evidente que investir nas políticas de saúde pública e de acesso universal, por exemplo, o Sistema Único de Saúde (SUS), é o melhor caminho para que a população de um modo geral tenha acesso aos serviços médicos hospitalares. Até mesmo os Estados Unidos, maior economia no mundo, demonstrou incapacidade no combate a pandemia pela falta de uma política de saúde pública aos cidadãos americanos. O ex-ministro Mandeta ao deixar o Mistério da Saúde conclamou por um SUS cada vez mais forte.

No Acre, o governador Gladson Cameli caminhada no sentido contrário, em meio à crise do Coronavirus, cujas atenções estão voltadas para frear a doença, o chefe do executivo estadual deve enviar um projeto de terceirização da saúde estadual, o alerta é do deputado e médico Jenilson Leite (PSB), membro titular da Comissão de Saúde da ALEAC.

O parlamentar tomou conhecimento da medida pelos presidentes do SINTESAC e do SEEAC. Na qual relataram em visita ao PS com Jenilson Leite que foram procurados pela equipe do governo para discutir o projeto que entrega o sistema de saúde nas mãos da iniciativa privada.

Além de denunciar o projeto que terceiriza a saúde sem um debate com a sociedade e os parlamentares, Leite relatou a visita que fez no Pronto Socorro. Para o deputado, o governo precisa agir imediato, pois as condições dos profissionais de saúde são precárias. “O serviço está precário, falta equipamentos e espaço para atender a demanda dos pacientes de covid-19. Isso tudo mostra a urgência que temos aprovarmos o projeto que concede um aumento de 50% de insalubridade aos trabalhadores”.

Jenilson Leite classificou como equívoco essa atitude. Para o deputado, é difícil acreditar que no meio de uma crise de saúde, o governo aproveite o momento para terceirizar a saúde. “Não posso acreditar que no meio da pandemia o governo aproveite para querer terceirizar a saúde, não é momento para esse debate”.

Segundo o deputado, o PL deverá encaminhado esta semana ao parlamento. “ ALEAC, não podemos aceitar essa atitude num momento tão difícil de reagir. Mas vai ter luta”, garantiu o médico.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Acre (SINTESAC), Adailton Cruz, agradeceu ao deputado por acompanhar essa situação, inclusive fez uma alerta sobre a situação da saúde. “Estamos acompanhado a situação, estivemos no Pronto Socorro e o serviço demonstra ineficiência, e como que o governo ainda quer terceirizar?”, questiona.

Foto: Jardy Lopes

Já o presidente do Sindicato dos Enfermeiros (SEEAC), Joabe Medeiros, questiona que o governo tem colocado os pacientes de Covid-19 juntos com os demais. “Olha, estamos vendo uma estrutura reduzida para atender pacientes do coronavirus, os profissionais estão com EPI’s doados e estes equipamentos não tem a qualidade necessária para se protegerem. O estado não tem doado nem equipamentos de proteção, mesmo assim, quer terceirizar a saúde estadual. É preciso melhorar muito, senão os pacientes estrarão sem covid-19 e sairão contaminados”, alerta o sindicalista.

Popular