Calegário diz que relação com Nicolau está rompida e rebelião pode ser o estopim para o fim do progressista na presidência

Por  Notícias da Hora 

Se depender do deputado Fagner Calegário (PL), o presidente da Mesa Diretora da Aleac, deputado Nicolau Júnior (Progressistas) terá dificuldades para se reeleger à presidência em 2021. Um áudio dele revela que o clima ficou tenso no pós sessão desta quarta-feira (29), após Nicolau encerrar o grande expediente e não conceder a palavra ao parlamentar, que alegou problemas técnicos ao ser chamado pela Mesa para fazer uso da palavra.

Calegário diz que relação com Nicolau está rompida e rebelião pode ser o estopim para o fim do progressista na presidência

O áudio, que tem exatos 25 segundos, revela que no que depender de Calegário, os laços com a Mesa Diretora, em especial Nicolau Júnior, estão rompidos. O parlamentar acusou Júnior de fazer uso da caneta para manobrar em favor dos interesses do Palácio Rio Branco. O descontentamento de Calegário já revela também o descontentamento de outros parlamentares com Nicolau Júnior na condução da Mesa Diretora.

“Vossa excelência cortou minha fala e concedeu a fala ao líder do governo. Esse é o tratamento que vossa excelência vem dispensando aos deputados que não compõem a base do governo. Eu não mais admitirei este tipo de tratamento e só quero registrar que aquele espírito de corporativismo, de ajuda mútua, dessa forma comigo não acontece, tá. Dessa forma comigo não acontece”, disparou.

Não é a primeira vez…

Na última semana, após a votação do projeto de lei que criou o Programa de Combate à Covid-19, que permitiu o remanejamento de quase R$ 92 milhões do Orçamento, Nicolau Júnior foi cobrado pelo deputado Jenilson Leite (PSB). O parlamentar socialista disse que iria fazer declaração de voto, mas Nicolau encerrou a sessão bruscamente, alegando problemas na internet. Naquele momento era apreciado o PL e uma emenda do deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) que criava uma rubrica na matéria que previa o pagamento de gratificação aos servidores da Saúde e da Segurança. Os internautas e os parlamentares ficaram sem saber se o que tinham aprovado era o PL ou a emenda.

Relação conturbada

A relação de Nicolau Júnior com os demais deputados, que inclui oposição, independentes e parte da base governista, começou a ficar difícil quando Nicolau sitiou a Aleac com militares para impedir a entrada de professores para acompanhar a votação da reforma da previdência. A partir dali, a relacionamento começou a sofrer desgaste. Parlamentares chegaram a ficar irritados com a decisão de fechar a Aleac, isso porque muitos deles tiveram dificuldades para ter acesso ao prédio. Sem falar no desgaste público que tiveram que ‘carregar’ com a determinação de Nicolau Júnior.

Entenda o motivo do descontentamento de Calegário

O bate-boca entre o deputado Fagner Calegário (PL) e o presidente da Aleac, deputado Nicolau Júnior (Progressistas) teve início durante a sessão desta quarta-feira (29). Calegário disse que teve a fala interrompida no grande expediente por Nicolau.

“Os colegas que estão lhe acompanhando, auxiliando a sessão, passaram despercebidos neste sentido, e eu preciso que vossa excelência me conceda a palavra no Grande. Presidente, nós sabemos dos problemas que a sessão remota nos impõe em alguns momentos. Travou aqui, eu recorri ao WhatsApp, solicitei… Eu peço a gentileza que vossa excelência me conceda a palavra”, cobrou Calegário.

Em resposta, Nicolau Júnior informou que o tempo regimental estava encerrado. “Deputado, Calegário, já está encerrado. Infelizmente, não vou poder lhe conceder”, disse o presidente da Mesa Diretora.

Em seguida, Nicolau Júnior concedeu uma questão de ordem ao líder do governo, deputado Gehlen Diniz, que pediu a suspensão da sessão para que as comissões permanentes fossem reinstaladas com uma nova composição.

Após Diniz se pronunciar, foi a vez do deputado Jenilson Leite (PSB).

Related Articles