Jordão: Prefeitura, Governo do Estado e Sebrae vão apoiar cooperativa na implantação de mini usina de extração de óleo de cocão

O crescimento de um município está alicerçado nas parcerias entre os entes e a iniciativa privada, e é com este propósito que a administração municipal de Jordão, através da Secretaria de Produção e Sustentabilidade, pasta encarregada de assistir os munícipes que produzem os alimentos da população e geram rendas, tem buscado parcerias com o Estado e Sebrae para garantir que os produtores jordanenses tenham  o apoio necessário para desenvolver o município e, por conseguinte, tornar seus moradores menos dependentes dos recursos que recebem de programas sociais, haja vista que quase 80% dos recursos que circulam na cidade são oriundos do funcionalismo púbico e do Bolsa Família.

Para mudar essa realidade, a pasta liderada pelo secretário Luís Meleiro com a anuência do prefeito Élson Farias, tem fechado parcerias com as principais secretarias estaduais e o Sebrae para implementar medidas no setor produtivo de Jordão. E umas dessas ações resultou no acordo para a implantação da primeira mini usina para extração do óleo cocão e produção de carvão da casca férrea do coco, sob a responsabilidade da Cooperativa de Agroextrativista de Jordão (Caejo). Também ficou decidido que será implantado um viveiro com arvores naturais para fins de reflorestamento e fruteiras que ficarão à disposição da comunidade local.

A reunião que selou o acordo contou com a participação de Antônio Souza e Doda Melo, representantes da FUNTAC (Fundação de Tecnologia do Acre), Souza Sombra representando da Secretaria Estadual de Produção e Agronegócio (SEPA), Pedro Freire agente de desenvolvimento do Sebrae, e Oscar Sérgio presidente da Caejo, além do secretário Meleiro. Vale lembrar que a iniciativa contou com o apoio do deputado federal Jesus Sérgio (PDT) e o presidente da FUNTAC (Fundação de Tecnologia do Acre, Tom Sérgio, que intermediaram  o apoio das pastas do governo estadual ao projeto.

O cocão será compro dos produtores da Resex do alto e baixo Tarauacá, além das terras indígenas para ser extraídos o bago. O “casco” será usado na produção de carvão.

Por Leandro Matthaus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *