sexta-feira, agosto 7, 2020

ALEAC realiza seminário para debater riscos do projeto de privatização do saneamento básico

A Assembleia Legislativa do Acre ( ALEC) realizou , na tarde desta quinta-feira (28), um seminário, em parceria com o Sindicato dos Urbanutário,  com a finalidade de debater o projeto de privatização do saneamento básico no Brasil e mostrar os prejuízos do Projeto de Lei (PL) Nº 3.261/2019, que está em tramitação no Congresso Nacional

 A ação foi proposta pelo deputado  estadual Jenilson Leite (PSB), vice-presidente da ALEAC.  O ato teve início às 15h no plenário da  Assembleia Legislativa (Aleac), e contou com  a presença do advogado paraibano Geraldo Quirino.

Segundo Jenilson Leite,   autor do requerimento, o objetivo do seminário é discutir um assunto da mais alta relevância que é privatização do sistema de saneamento, sobretudo a água do país. ” Temos conhecimento de uma situação muito complexa relacionada as cobranças absurdas  das contas de energia, oriundas da privatizações do sistema elétrico do país. Agora está em pauta a privatização do sistema de saneamento, que certamente trará uma conta muito mais alta ao consumidor. E  diante da realidade econômica do Brasil e das famílias brasileiras certamente isso irá dificultar mais ainda a vida do acreano”.  O parlamentar lembrou que o projeto está em tramitação na Câmara Federal, e há também uma movimentação para que seja apresentado na ALEAC. ” Por isso estamos tentando concientizar e sensibilizar nossos deputados federais em não votar nesse projeto e  também quero dizer aqui: se ele vier para o parlamento acreano , nós vamos votar contra”.

Seminário que debate os riscos de privatização do sistema de saneamento básico. Foto : Jardy Lopes

O diretor de obras do Depasa Jamerson Lima, órgão responsável pela distribuição de água no Acre,  afirmou que a tendência nacional é que a privatização se torne uma realidade a partir da aprovação do novo marco legal de saneamento. ” Com o  novo marco legal de saneamento, a privatização vai ser uma regra. Uma vez que os volumes de recursos para esta área é muito alto e o país não dispõe desses recursos. Por isso tem que haver uma participação do capital privado, para conseguir suprir a necessidade de recursos para o setor. Por exemplo, aqui no Acre o BNDES apontou que é necessário um investimento de 1,3 bilhões de reais. E o Estado não dispõe”, comentou o representante do governo. 

Segundo o palestrante  Geraldo Quirino, que é advogado, bacharel em História e pós-graduado em Direito Penal e Perícia Criminal, além de compor   o quadro da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU),  o debate está sendo promovido em todo o país e tem como finalidade  esclarecer a sociedade, uma vez que o projeto vai prejudicar a população mais necessitada. ” Esse PL vai prejudicar a população menos favorecidas, periféricas das cidades pequenas. Porque o setor privado, ou seja, o capital privado não vai querer fazer saneamento básico nas cidades pequenas, por exemplo. Ele vai pegar o que já está feito e vai explorar, vai  vender água muito mais cara. Isso vai prejudicar a sociedade civil como um todo. Por isso nossa luta é para derrotar este projeto e vamos fortalecer as companhias estaduais de saneamentos,  em vez de privatizar o Estado”.

Leandro Matthaus
Leandro Matthaus é graduado em Letras Português pela UFAC, radialista e narrador esportivo. Atuou nos sites Acrenoticias.com, Blog do Kaká, Tarauacá Agora, foi assessor de comunicação da Prefeitura de Tarauacá. No rádio, tem passagens pelas Rádio Nova Era FM 87,9 e Jordão FM 88.5 Cultural. Tem um programa na Rádio Juruá FM 100,9 (Programa Mistura Fina). Além de ser Vascaíno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Popular

Tarauacá: Grupo Tático prende cinco homens por envolvimento com o tráfico de drogas

Na sexta-feira, 03, a Polícia Militar, por meio do Grupo Tático de Tarauacá, braço da corporação para o enfrentamento do crime organizado, conseguiu prender...

Jordão: extração do látex da seringueira melhora renda de moradores da reserva extrativista; venda da borracha injetou sessenta mil na zona rural do município

Durante quase cem anos , final do séc. XIX e até  meados de 80 do séc. XX, a borracha, produto extraído do látex da...

Cel. Ulysses será o vice de Minoru Kinpara e Major coordenadorá a campanha do ex-reitor da Ufac

Pedro Valério continua presidente regional do PSL no Acre e as candidaturas do interior tanto para o legislativo, como para o executivo será coordenada...

Vereadores de Jordão apresentaram mais de 300 proposições legislativas em 2019

Os parlamentares de Jordão, no interior do Acre, concluem 2019 como um dos anos mais produtivos da história política da cidade. Os edis apresentaram...