Jenilson diz que Gladson prometeu reajuste para os servidores públicos e agora quer retirar direitos

O deputado estadual Jenilson Leite (PSB), vice-presidente da ALEAC, destacou durante seu pronunciamento na manhã desta terça-feira (12) que a reforma da previdência estadual ainda não foi votada por conta do movimento que impediu que o atropelo e falta de respeito com os cidadãos acontecesse no dia que a matéria chegou na Assembleia. “Vejo aqui, o governo através de seu líder querendo vender uma imagem de bonzinho, dizer que a reforma não foi votada para se construir um diálogo. E a história não é bem assim, nós, da oposição e o movimento sindical impedimos que esta reforma não fosse votada ainda porque não houve diálogo, a conversação só ocorreu depois da batalha que travamos nesta casa, pois queriam votar sem ao menos os parlamentares tivesse conhecimento da proposta na íntegra”.

Jenilson Leite na manifestação contra a reforma da previdência. Foto: Jardy Lopes

O deputado também enfatizou que a reforma proposta pelo executivo estadual é muito pior do que a do presidente Jair Bolsonaro. “ A reforma do Gladson não altera somente as regras da previdência estadual, ela muda o estatuto do servidor. Retira licença-prêmio, sexta-parte e o auxílio funeral. Ou seja, a reforma deste governo está sendo pior do que a do Planalto”, disse o oposicionista.

Um governo que foi eleito prometendo ajudar o servidor e após nove meses governa fazendo chantagem aos servidores, dizendo que, se a reforma não for aprovada não vai convocar ninguém, é uma tentativa de desinformar a população. “Em campanha dizia que dinheiro tinha, o que faltava era gestão, e agora está com outra conversa, fazendo financiamento e dando como segurança de crédito a retirada de direito dos trabalhadores”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *