Gazeta Entrevista: Élson Fárias e Dê Dias falam da política de inclusão dos povos indígenas através do esporte nas aldeias

O prefeito Élson Fárias e o vereador Dê Dias , ambos filiados ao PCdoB, foram entrevistados na tarde de terça-feira (15) pelo âncora do programa Gazeta Entrevista ( TV Gazeta/Record) , Itaan Arruda, para falar da política de inclusão dos povos  indígena no município de Jordão, através das políticas sociais  do poder executivo municipal  e das ações que o vereador desenvolvem junto as 33 aldeias. 

O apresentador ressaltou a corrida de bajola, barco feito de madeira leve e que corre mais do que voadeira, cuja criação da competição foi na época em que Dê Dias ocupava o cargo de coordenador municipal de esporte, de 2013 a 2016. Essa atividade esportiva aquática foi destaque no Brasil inteiro. 

Com  relação a política de inclusão aos povos Huni Kui ( povo verdadeiro na língua indígena) mas conhecido como Kaxinawá no idioma português. Dê Dias falou do trabalho que desenvolve nas aldeias desde quando ocupava a função de coordenador. Tendo levado o esporte para dentro das aldeias de forma organizada, na qual o campeonato de futebol envolvem homens e mulheres, cada comunidade tem uma equipe e as mulheres participam de competição de beleza, melhor cozinheira, dentre outras atividades. Além dos churrascos de confraternização que é organizado.   

A viagem do vereador a capital do estado é justamente para conseguir apoio para poder levar o selecionado indígena para disputar um amistoso no estádio Arena da Floresta contra o time da imprensa de Rio Branco. O amistoso está marcado para o mês de novembro. 

Já o prefeito Élson Fárias, destacou o trabalho da prefeitura junto aos Huni Kui, na qual representam 40% da população jordanense. Segundo o prefeito, em solidariedade aos povos indígenas a prefeitura assumiu 33 escolas indígenas que são de responsabilidade do Estado para que os jovens indígenas não parassem o estudo. Farias também destacou que com relação a saúde que é de responsabilidade do governo federal, essas pessoas estão a mercê. ” Uma administração de saúde feita em Brasília e administrada em São Paulo sem conhecer a realidade de quem vive nas aldeias não poderia dar certo nunca. Essas pessoas estão a mercê. A  política atual voltada para este povo   é de destruição o que já foi construído”, enfatiza o prefeito. 

Ainda segundo Élson Fárias, o governo do estado simplesmente virou as costas para os povos indígenas. Falta políticas sociais, coisas básicas. ” São mais de três mil índios que a prefeitura por solidariedade a estas pessoas assumiu algumas responsabilidade do Estado e do Governo Federal, mas chega um momento que não teremos condições. Daqui a pouco são quatro mil indígenas sem acessos as políticas sociais. É preciso olhar mais para a realidade das comunidades locais” cobrou o prefeito.

Dos mais de oito mil habitantes de Jordão, cerca de 3.500 são indígenas da etnia Kaxinawa ( Huni Kui). 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *