Conmebol pune Messi por declaração sobre corrupção: R$ 194 mil e três meses sem jogar pela seleção

O polêmico desabafo de Messi ao encerrar a participação na Copa América não passou impune diante da Conmebol. A entidade anunciou nesta sexta-feira a punição que vai aplicar ao astro da Argentina por suas declarações contra a entidade depois da partida contra o Chile, na disputa do terceiro lugar da Copa América.

O astro argentino foi multado em US$ 50 mil (R$ 194 mil) e foi suspenso por três meses sem poder jogar pela seleção, contando a partir desta sexta-feira, 2 de agosto. Dentro deste período há três datas Fifa, em setembro, outubro e novembro.

É possível que Messi, portanto, esteja apto para enfrentar o Brasil caso o amistoso em novembro, na Arábia Saudita, seja confirmado.

Declarações de Messi vieram após expulsão contra o Chile — Foto: Marcos Ribolli

Declarações de Messi vieram após expulsão contra o Chile — Foto: Marcos Ribolli

Como as Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2022 só começam em março de 2020, Messi poderá estar presente. Mas apenas na segunda rodada do torneio – já que o astro foi expulso na disputa do terceiro lugar e terá que cumprir suspensão no primeiro jogo da Argentina em busca da vaga no Mundial.

Messi não hesitou em atacar a Conmebol em duas oportunidades na disputa da Copa América. O primeiro desabafo veio após a derrota para o Brasil nas semifinais, quando os argentinos reclamaram de dois pênaltis não marcados pelo árbitro equatoriano Roddy Zambrano. Na ocasião, o camisa 10 reclamou da não-utilização do VAR.

Messi diz que Argentina lutou muito e Brasil não foi superior na partida

Messi diz que Argentina lutou muito e Brasil não foi superior na partida

O episódio mais grave, entretanto, ocorreu após a disputa do terceiro lugar diante do Chile. Apesar da vitória da Argentina por 2 a 1, Messi não escondeu sua revolta por ter sido expulso em lance em que se envolveu em confusão com Gary Medel. Após a partida, o astro explicou porque não foi à premiação para a entrega da medalha de bronze, dizendo que não queria “fazer parte da corrupção”.

Globo Esporte –Por Martín Fernandez — São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *