” O Ensino Médio não deveria ser lugar para alfabetizar”, desabafa professor Isaac Melo

A gente faz a recuperação no intuito de melhorar, e o resultado deixa a gente ainda mais “depressivo”. Adolescentes e jovens que carecem do básico, desde leitura à simples escrita. Não estão de acordo com as etapas. Ensino Médio não deveria ser o lugar para se alfabetizar. Some-se a tudo isso, a falta de qualquer interesse no estudo de uma parcela considerável, como se o estudo simplesmente não significasse nada para o seu presente e muito menos ao futuro. E talvez não signifique mesmo. A omissão da família em acompanhar esses jovens e adolescentes, somados às condições precárias de nossas escolas, juntamente com o descaso das políticas educacionais, além da sobrecarga de professores e demais agentes educacionais, leva a essa triste e cruel realidade, que entra ano sai ano, o governo finge que está tudo bem, e a gente permanece a levar a farsa pra frente. Sinto-me parte desse “fracasso”. Mas, como um pessimista otimista, não perco a esperança. Enquanto estiverem na escola, algo pode ser feito, transformado, melhorado. Antes de serem “boas ou más” notas, são seres humanos, com suas carências, defeitos e virtudes. Embora pareça uma ideia ingênua e romântica, não desisto de um estudante nem quando ele mesmo já desistiu de si. Não vamos transformar o mundo, mas podemos ajudar na transformação do mundo particular de algum desses garotos e garotas. É agora, quando a maioria corre o risco de perder-se, que eles mais precisam de nós. Infelizmente, o professor, hoje, educa contra tudo e contra todos, desde o uso inadequado da tecnologia até à falta de papel; desde à violência até o descaso dos governos, que nos oferece uma peneira para tampar o sol das mazelas do País.

Por Isaac Melo, professor, escritor e blogueiro 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *