quinta-feira, agosto 13, 2020

Em sabatina na Comissão de Saúde da ALEAC, Mônica Feres desmente Gladson ao dizer que não existe cartel na saúde

Atendendo a convocação do requerimento do deputado Jenilson Leite (PCdoB), a secretária de Estado de Saúde do Acre, Mônica Feres, foi sabatinada por cerca de duas horas na Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, para explicar os primeiros diagnósticos feito pela sua equipe à frente da pasta e o modo que ela fará para sanar os inúmeros problemas da saúde do estado.

Aos deputados, a gestora afirmou que o problema da saúde não é a falta de recurso, mas sim de gestão. Contudo, às medidas que ela está adotando vão ajudar a organizar o sistema. Além disso, Feres nega haver cartel na saúde, desmentindo o governador que por várias vezes afirmou que existe um quartel dentro da pasta, por isso a saúde tem tantos problemas. Todavia, ela acusou os profissionais de fazer “corpo mole”. Para Mônica Feres, apenas 20% trabalha como preceitua as normas do contrato, os outros 80% fazem corpo mole.

A indicada de Gladson, afirmou que o grande problema da saúde está centrado na atenção básica, que é de responsabilidade da prefeitura. “Mais 80% dos que procuram o PS devem ser atendidos em casa ou nos postos de saúde do bairro”. Já com relação a falta de medicamento, a secretária disse que uma das medidas para sanar o problema, será a descentralização das licitações.

Ao questionar a gestora, o  deputado e médico Jenilson Leite, autor do requerimento, listou os principais problemas enfrentados na saúde do Acre como a falta de medicamentos e profissionais para atender em todo o estado. “Entendemos que em seis meses já teria dado para encaminhar o rumo da saúde do Acre. Quero listar alguns pontos que já deveria ter sido solucionado nesses seis meses como a falta de medicamentos e falta de profissionais”, diz o parlamentar.

Jenilson aproveitou para questionar a secretária quais ações estão sendo tomadas para resolver o problema da falta de remédios, de profissionais e sobre os servidores do Pró-Saúde, que correm risco de demissão.

Em resposta ao parlamentar, Mônicia Feres afirmou que sua equipe ainda está “conhecendo a casa” para poder resolver os problemas. “Nossa equipe acabou de chegar e ainda estamos conhecendo a casa e analisando os problemas”. Sobre o Pró-Saúde, disse que vai resolver fazendo o sistema funcionar, mas não explicou como vai fazer.

  Por Leandro Matthaus 

Leandro Matthaus
Leandro Matthaus é graduado em Letras Português pela UFAC, radialista e narrador esportivo. Atuou nos sites Acrenoticias.com, Blog do Kaká, Tarauacá Agora, foi assessor de comunicação da Prefeitura de Tarauacá. No rádio, tem passagens pelas Rádio Nova Era FM 87,9 e Jordão FM 88.5 Cultural. Tem um programa na Rádio Juruá FM 100,9 (Programa Mistura Fina). Além de ser Vascaíno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Popular

Tarauacá: Grupo Tático prende cinco homens por envolvimento com o tráfico de drogas

Na sexta-feira, 03, a Polícia Militar, por meio do Grupo Tático de Tarauacá, braço da corporação para o enfrentamento do crime organizado, conseguiu prender...

Jordão: extração do látex da seringueira melhora renda de moradores da reserva extrativista; venda da borracha injetou sessenta mil na zona rural do município

Durante quase cem anos , final do séc. XIX e até  meados de 80 do séc. XX, a borracha, produto extraído do látex da...

Cel. Ulysses será o vice de Minoru Kinpara e Major coordenadorá a campanha do ex-reitor da Ufac

Pedro Valério continua presidente regional do PSL no Acre e as candidaturas do interior tanto para o legislativo, como para o executivo será coordenada...

Vereadores de Jordão apresentaram mais de 300 proposições legislativas em 2019

Os parlamentares de Jordão, no interior do Acre, concluem 2019 como um dos anos mais produtivos da história política da cidade. Os edis apresentaram...