Até novembro, Polícia Civil contará com reforço de 275 novos profissionais

Curso de formação policial para delegados, escrivães e agentes é mais um compromisso do Governo no enfrentamento ao crime

No dia em que o governo Gladson Cameli completou seis meses, mais um importante avanço para a Segurança Pública foi concretizado nesta segunda-feira, 1º. A aula inaugural do Curso de Formação Policial da Polícia Civil é um marco deste novo momento que o Acre vive.

Até o próximo mês de novembro, o Estado contará com 275 novos agentes, delegados, escrivães e auxiliares de necropsia aptos para estarem nas ruas trabalhando arduamente na investigação e solução dos mais diversos crimes, consolidando a Polícia Civil acreana entre as mais eficientes do país.

Durante seu discurso, Gladson lembrou das circunstâncias em que herdou o Estado após 20 anos sendo gerido por um grupo político que trouxe o caos em todas as áreas da administração pública estadual, sobretudo, no que diz respeito à Segurança Pública.

“Não é segredo para ninguém a situação em que recebemos o governo: um estado entristecido, sem rumo, com mais de 60 milhões de dívidas em atraso, médicos em greve e funcionários públicos sem receber o 13º. As polícias sucateadas, sem equipamentos de proteção, sem fardamentos, sem munição, sem combustível e principalmente sem apoio e incentivo para defender a nossa população”, pontuou.

Mesmo diante do caos deixado por administrações irresponsáveis, a convocação dos futuros policiais civis sempre foi tratada como prioridade na gestão Gladson Cameli. O chefe do Poder Executivo não tem medido esforços para que a paz seja restabelecida entre as famílias acreanas.

“Para melhorar os índices da Segurança, precisamos ter efetivo. Então, economizamos e fizemos aquilo que podíamos fazer e hoje é um dia muito especial porque a gente olha no semblante destes jovens que começam o curso de formação a esperança de dias melhores. Como governador, saio daqui com a sensação de muito otimismo”, declarou.  

Bastante aplaudido pela multidão que acompanhava a solenidade realizada no Teatro Universitário da Universidade Federal do Acre (Ufac), a determinação de Gladson Cameli foi essencial para colocar um ponto final na angústia dos 275 futuros profissionais que aguardavam por este momento desde novembro de 2017.

O evento foi prestigiado pelo vice-governador, Major Rocha, pelo secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Paulo Cezar Rocha dos Santos, pelo Comandante da Polícia Militar, cel. Ezequiel Bino, pelo Comandante do Corpo de Bombeiros, cel. Carlos Batista, pelo presidente do Tribunal de Justiça do Acre, desembargador Francisco Dejalma, pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Nicolau Júnior, pelo promotor de Justiça do Ministério Público Estadual, Danilo Lovisaro, pela superintendente da Polícia Federal no Acre, Diana Calazans, e pelo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Acre, Erick Venâncio.

Curso de Formação Policial está entre os mais modernos do país

Com carga horária de 880 horas, o Curso de Formação Policial terá duração de quatro meses. Neste período, os candidatos serão treinados nas mais diversas áreas que envolvem a atuação da Polícia Civil.

Para isto, contarão com instrutores altamente capacitados e das mais diversas instituições. Segundo o diretor da Academia de Polícia, delegado Getúlio Teixeira, profissionais da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Civil do Distrito Federal, Paraná e Rio Grande do Sul ministrarão o que há de mais moderno no que diz respeito a formação policial.

“A Polícia Civil está inovando na Academia de Polícia, estamos trazendo profissionais de renome nacional que são referência em suas áreas, estamos com uma grade curricular inovadora, onde privilegiamos a investigação criminal, a investigação de crimes contra a administração pública, combate à corrupção, lavagem de dinheiro, tráfico de drogas, organizações criminosas, além da questão dos homicídios”, ressaltou.

Para o delegado-geral da Polícia Civil, Henrique Maciel, a chegada dos novos profissionais diminuirá a defasagem de policiais e garantirá mais eficiência na resolução de crimes.

“Com a chegada destes novos policiais, a Polícia Civil vai ganhar um número significativo para dar continuidade as investigações, principalmente, no tocante a questão dos homicídios, do crime organizado, entorpecentes e também fazer uma distribuição para os demais municípios onde temos uma certa carência de pessoal”, enfatizou.

Acre apresenta redução de 30,9% no número de homicídios

Dados da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) apontam que os índices de criminalidade caíram em todo o Estado. Nos primeiros seis meses de 2019, o número de homicídios é 30,9% menor em comparação ao mesmo período do ano passado.

É a primeira vez, nos últimos cinco anos, que se registra redução na quantidade de assassinatos. Valorização dos aguerridos policias, entrega de novas viaturas e equipamentos, fortalecimento do serviço de inteligência, além da reestruturação do Sistema de Segurança Pública estão entre os principais fatores que contribuíram para a obtenção do resultado positivo.

A entrada dos novos policiais é outro grande passo para que a tendência de queda continue e contribuirá para o retorno da sensação de segurança que o cidadão de bem perdeu nos últimos anos pelo total descaso de gestões passadas com as instituições que integram a Segurança Pública do Acre.

A partir de setembro, o Estado ganhará mais 247 novos policiais militares que atuarão nos locais de maior vulnerabilidade. Desta forma, o Governo aplicará mais um duro golpe contra a criminalidade e fortalece a presença da força policial na proteção a sociedade nos 22 municípios acreanos.

Por Wesley Morais, Agência AC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *