Possível nome do PCdoB na disputa pela prefeitura de Tarauacá em 2020, vereador Lauro Benigno diz que “ governo de Marilete está perdido e sem planejamento”.

O professor, sindicalista e vereador Lauro Benigno, de 43 anos, é o entrevistado do Portal Tarauacá, nessa rodada de entrevista que o editor do site [Leandro Matthaus] tem feito com os prováveis nomes que disputarão o cargo de prefeito de Tarauacá em 2020.

Eleito em 2016 com 677 votos, sendo o mais bem votado do PCdoB e o terceiro na disputa geral, o ex-diretor da escola José Augusto de Araújo e atual presidente do Sinteac, é provável nome do Partido Comunista do Brasil para suceder Marilete Vitorino na próxima disputa majoritária.

Formado em matemática, pós-graduado em gestão e pastor, Lauro é visto como um nome capaz de disputar as eleições com chance de vitória, pois conseguiria agregar vários setores, do evangélico ao católico, do educador ao trabalhador do campo.

Na entrevista concedida ao jornalista Leandro Matthaus, Benigno fala do seu mandato, da luta sindical e avalia o governo de Marilete, de quem ele é oposição.

 Portal Tarauacá: Como o senhor avalia seus dois anos e meio de mandato? 

Lauro Benigno: Nesses dois anos e meio, tenho procurado fazer um mandato voltado para os interesses do nosso povo. Mantenho o mesmo posicionamento, sempre em defesa da população, dos estudantes, dos trabalhadores, das mulheres e dos povos indígenas. Estando sempre ao lado do povo. Aonde teve um problema, uma dificuldade pautei na Câmara e busquei a solução. Também o que é de interesse da população e a prefeitura mandou para a Câmara, nós aprovamos. Nunca criamos empecilho para melhorar a vida do povo de Tarauacá.

Por Tarauacá: Há poucos dias o senhor venceu mais uma eleição, sendo esta à reeleição do sindicato de maior credibilidade do município [ Sinteac]. Sua vitória foi com uma margem de quase 70% dos votos. O que o senhor atribui este resultado tão exorbitante frente a sua adversária? 

Lauro Benigno: Essa eleição do sindicato da educação, na qual obtivemos mais de 70% dos votos válidos, mostra a credibilidade no nosso trabalho. Nossa categoria com quase oitocentos filiados, eles sabem o trabalho que está sendo desempenhado ali dentro. Eles estão lá, observa as nossas lutas em defesa da melhoria das condições de trabalho e da valorização profissional dos nossos servidores, e isso é colocado na balança na hora que vai para uma eleição ou reeleição do nosso sindicato. As pessoas conhecem a gente, o nosso trabalho, nossa forma de tratar a coisa. Sempre em qualquer governo estivemos na defesa dos trabalhadores.

Portal Tarauacá: Tarauacá vive um caos. Ruas intrafegáveis, a educação não deslancha. Sendo que o ano letivo rural tem previsão de término em janeiro de 2020, como vê tudo isso? 

Lauro Benigno: essa questão que Tarauacá está vivendo realmente é muito triste, podemos dizer que é um caos. Ruas intrafegáveis. Tarauacá tem uma cerâmica que poderia passar o inverno todo produzindo tijolos. Pois tem uma capacidade de produzir 20 mil tijolos por dia sem fazer muito esforço. Isso é suficiente para deixar todas as ruas e travessas de nossa cidade pavimentada com tijolo. E as ruas principais sendo asfaltada com material de qualidade, é o que não vem acontecendo, faz-se um serviço e em menos de seis se vai tudo. Por quê? Por falta de compromisso, pois não tem uma equipe responsável que faça as coisas pensando na população. Isso é dinheiro público e precisa ser bem utilizado, mas infelizmente não tem sido. Na educação estamos com muitos problemas. Na última avaliação que teve em 2017, já no governo atual, no IDEB. O índice foi menor do que o de 2015. Isso mostra que já não foi bem e agora em 2019 tem avaliação de novo, e pelo andar da carruagem estes índices podem ser menores novamente. Porque falta investimento, falta reforma nas escolas, falta professores em muitos casos. A zona rural estamos no meio do ano e algumas escolas começaram as aulas exatamente agora, porque o prédio da escola não presta, quando funciona não tem transporte, ou o professor não chegou ainda. Fizeram um concurso permanentes e não contrataram.

Portal Tarauacá: a prefeita Marilete Vitorino presidiu a AMAC, instituição responsável pela organização dos projetos dos municípios, mas não conseguiu viabilizar nem projeto, nem recurso para Tarauacá. Por que ela não consegue administrar? 

Lauro Benigno: numa certa oportunidade, eu e a [vereadora] Janaina estávamos numa conversa com a prefeita e dissemos a ela que o fato de ser presidente da AMAC (Associação dos Municípios do Acre) não tinha contribuído em nada para a melhorar a qualidade de vida do povo de Tarauacá. E até sugerimos a ela que saísse da AMAC que não estava ajudando em nada, nós não tínhamos percebido nenhuma melhoria. E realmente não aconteceu. Ela presidiu uma instituição importante como é AMAC e não conseguiu viabilizar nada para a nossa cidade e nem para os demais municípios, pois sabemos que foi uma gestão muito ruim. Inclusive Tarauacá deixou voltar muitos recursos, o dinheiro voltou, isso mostra a falta de compromisso com o nosso povo. Isso é uma questão de gestão, se você não acompanha no dia a dia as coisas não flui. Eu fui diretor de escola por oitos anos e já estou há quatro na presidência do sindicato, isso se você não está ali dentro acompanhando, dizendo o que está certo e o que não está,  buscando melhoria as coisas não vão funcionar. Como o governo não faz isso, temos uma gestão ruim e o povo sofrendo.   

Portal Tarauacá: Qual sua avaliação sobre a gestão dela e qual conselho o senhor daria a ela?

Lauro Benigno:  a avaliação que faço do governo é, que é um governo perdido. Governo que não tem planejamento e que não sabe o que está fazendo, a prova são os erros que comentem um atrás do outro. Agora querem demitir os aposentados, aí depois diz: nós não vamos demitir, mas apenas ver quem não está trabalhando. Depois diz nós vamos reduzir o salário dos agentes administrativos. Aí as pessoas recorrem à justiça e o juiz diz que é uma confusão jurídica desse governo. Então, assim, é um governo perdido, um governo que não diz para o que veio. Prometeu muito e agora não tem gestão, demitindo as pessoas que fazem parte da própria equipe, não há entendimento entres eles mesmos. Não há confiança na equipe, se não há confiança, não tem como funcionar. Já saíram duas matérias dizendo que a prefeita tem boas intenções, mas os secretários são incompetentes. Essas matérias são feitas por sites ligados ao próprio governo. Ou seja, não há unidade entres eles. Por isso, avalio que é um governo que não tem noção do que está fazendo e um conselho, eu já conversei pessoalmente com a prefeita. Todavia, um conselho que dou a prefeita é que não deu certo como governante, mas desejo sucesso profissional na vida dela, mas como gestora não fluiu.  E saia dessa situação embaraçosa que comprometeu muita a vida do povo de Tarauacá.

Portal Tarauacá: vai concorrer à reeleição para o legislativo ou disputar a prefeitura, haja vista que seu nome vem sendo especulado entre os que disputarão o executivo, além disso, boa parte do PCdoB te vê como um nome capaz de vencer. 

Lauro Benigno:  olha Leandro, o fato do meu nome está sendo cotado, me sinto feliz! Porque assim cara, eu fui gestor de escola por oito anos, estou presidindo o maior sindicato dessa cidade, o mais forte e mais organizado que é o Sinteac, que tem uma marca muito forte aqui em Tarauacá, de luta e resistência, e como parlamentar se meu nome não tivesse cotado como possíveis candidatos a prefeito, para mim seria muito ruim. Poxa! Já tenho experiência em gestão, não de agora, e o nome não está sendo cotado, isso mostraria que eu não estava fazendo um trabalho. Então, a partir do momento que as pessoas começam a me procurar, nas ruas as pessoas me encontram e dizem:  você precisa ser prefeito dessa cidade, nós precisamos de alguém com compromisso, com seriedade e que fale a verdade, faça as coisas corretas. Não chegue lá para tentar ganhar dinheiro.  Isso de certa forma é muito bom, você ouvir isso. Que as pessoas acreditam no nosso nome, no nosso trabalho.

Portal Tarauacá: se o senhor chegar a ser prefeito de Tarauacá, o que faria de diferente para educação?

Lauro Benigno: o que tenho a dizer é que se um dia chegar a ser prefeito dessa cidade, tem muitas coisas que são possíveis fazer, não é difícil, não é necessário vir rios de dinheiros para que se faça. É necessário dialogar com as pessoas. Por exemplo, na educação é necessário dialogar com os trabalhadores, ouvir os trabalhadores, suas demandas, o que é preciso fazer para valorizar o profissional, valorizar o servidor de apoio, dá condições melhor de trabalho para eles. Esse tipo de coisa é possível de se fazer, jogando limpo, colocando as coisas na mesa. Dizendo é isso aqui que nós temos e qual a melhor forma de fazer? É possível fazer. Valorizando os profissionais nós temos uma educação. Na área de saúde, podemos melhorar, é uma área que vem muito recurso e nós vemos uma precariedade nos postos de saúde. Falta médico, falta profissionais para atender as pessoas, fazer um tratamento odontológicos, e outras questões. Muitas vezes não falta recurso, falta gestão. É possível colocar o barco hospitalar para ser um hospital lá no porto para atender os ribeirinhos.

Por Leandro Matthaus

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *