Jordão: Professora busca apoio para realizar o Projeto Gincana de Socialização

Um dos objetivos do Plano Político Pedagógico (PPP) escolar e dos PCNs   (Parâmetros Curriculares Nacional) é a aproximação da comunidade escolar com os seus familiares, na qual eles devem ser parte  integrante do projeto educacional desenvolvido pelos docentes e gestores.  Dessa forma, a professora de geografia Mariza Batista realiza desde 2017 no município de Jordão, cidade do interior do Acre, projetos que envolvem alunos e pais.

Indígenas cantando no MUDAM

Em 2017, Mariza criou o Projeto Natal Solidário, na qual a turma que arrecadou mais cestas básicas foi contemplada com quinhentos reais. Os alunos conseguiram arrecadar 85 cestas e foram distribuídas às famílias carentes. Numa cidade que a economia gira entorno do funcionalismo público e dos contemplados com os programas sociais do governo federal, a ação é louvável e digna de muitas palmas.

Mariza Batista e com alunos do projeto MUDAM

Já em 2018, quando docente da escola Bernardo Abdon da Silva, o único colégio da rede municipal na área urbana, a educadora desenvolveu o projeto MUDAM, uma competição de dança e música, sendo que o campeão levou para casa setecentos reais. Além de outros prêmios doados por pessoas que abraçaram a ideia e ação de Mariza.

Diretora Luzia e alunos .
Projeto MUDAM

Neste ano, a professora está desenvolvendo a Gincana da Socialização com alunos dos três turnos da escola estadual de ensino fundamental e médio Jairo de Figueiredo Melo. A gincana terá três etapas antes da decisão, sendo que a cada vitória obtida numa etapa, o ganhador vai somando pontos para a final. O vencedor da gincana ganhará quinhentos reais.

Para realizar o projeto a educadora precisa de apoio para pagar o prêmio e outros coisas que se fazem necessários para a execução das atividades. “Quantos mais apoio tivermos, mais bonito será o nosso projeto. Quem quiser apoiar nossa atividade serei grata”, conclama Mariza.

Segundo a professora, nesses projetos, não apenas os alunos são submetidos as provas do concurso, mas também os pais, para que se sintam inseridos e mais presente no dia a dia do filho na escola. “Nosso objetivo é trazer os pais para junto da escola. Que eles acompanhem a vida escolar do filho e se sinta parte do processo de formação educacional deles. Além disso, com essas atividades percebo o interesse dos alunos de vir mais para a escola”, pondera a professora.

Por Leandro Matthaus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *