quarta-feira, julho 15, 2020

Indígenas acadêmicos da UFAC produzem livros contando a história do seu povo

Ao longo da história a escrita tem sido essencial para registrar e manter viva a cultura de inúmeros povos. E, com o pensamento de contribuir para a preservação da cultura do povo indígena da região do Vale do Juruá (tronco linguístico pano), a professora doutora Vera Bambirra, da Universidade Federal do Acre, que ministrou a disciplina de Línguas Indígenas e Língua Portuguesa para os discentes do curso de Licenciatura Indígena, do Campus Floresta na cidade de  Cruzeiro do Sul, trabalhou junto com a turma de 48 estudantes indígenas a produção de livros que narram a história de cada uma das etnias dos acadêmicos.

Alunos da etnia huni kui ( Kaxinawá).

 

 

 

 

 

 

 

De julho a dezembro, os alunos sob a orientação da docente pesquisaram nas suas aldeias a história de seu povo para poder transcrever as narrativas. Os livros incluem desde a formação religiosa a produção alimentícia. Ainda contemporaneidade, o conhecimento a respeito de seus antepassados é transmitido de pai para filho, ou na grande maioria pelos pajés- que são os responsáveis pela cura espiritual do povo e, também, por transmitir o conhecimento relacionado a preservação dos costumes indígenas.

Alguns livros foram produzidos manuscritos. Outros os alunos fizeram o uso da tecnologia. Mas os desenhos que retratam a história e trazem os traços de cada etnia foi manual. Destarte, que muitos dos livros estão grafados nas línguas: portuguesa e indígena.

Segundo Vera Bambirra, o objetivo desse trabalho é preparar os acadêmicos, professores na sua maioria, para que eles também levem seus respectivos alunos a produzirem livros. Além disso, ela afirma que é uma forma de fortalecer a cultura dos povos indígenas, bem como auxiliá-los no desenvolvimento da escrita. O contato da educadora com a cultura indígena vem desde seu curso de doutorado, quando ela fez pesquisa sobre a língua indígena na aldeia dos  Katukina.

Vera Bambirra

A aluna Patricia Huni kui, da etnia Kaxinawa e moradora da aldeia Pinuya, ressaltou que experiência foi bastante enriquecedora, pois além do aprendizado, também contribui para o registro da cultura do povo.

     

O lançamento dos livros foi realizado no dia 12 de dezembro, na própria universidade. Para abrilhantar o momento, a também professora doutora Maria José organizou um recital de poesias, além disso, os alunos fizeram apresentações de músicas e danças indígenas.   

Por Leandro Matthaus

 

Leandro Matthaus
Leandro Matthaus é graduado em Letras Português pela UFAC, radialista e narrador esportivo. Atuou nos sites Acrenoticias.com, Blog do Kaká, Tarauacá Agora, foi assessor de comunicação da Prefeitura de Tarauacá. No rádio, tem passagens pelas Rádio Nova Era FM 87,9 e Jordão FM 88.5 Cultural. Tem um programa na Rádio Juruá FM 100,9 (Programa Mistura Fina). Além de ser Vascaíno.

1 COMENTÁRIO

  1. Achei muito interessante a ideia da Professora Dra. vera Bambirra de incentivar seus alunos indígenas a escrever esses e certamente outros livros sobre sua cultura , assim não corre o risco de perde- la no tempo ficando só na tradição oral , outras etinias como os guaranis e os Kiuwas do MS especialmente as tribos que habitam na região de Dourados também já têem alguns livros publicados inclusive a Professora Ceci Fernandes que publicou um dicionário da língua Guarani. Na verdade sou um admirador da cultura indígena, africana e outras culturas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Popular

Jordão: extração do látex da seringueira melhora renda de moradores da reserva extrativista; venda da borracha injetou sessenta mil na zona rural do município

Durante quase cem anos , final do séc. XIX e até  meados de 80 do séc. XX, a borracha, produto extraído do látex da...

Tarauacá: Grupo Tático prende cinco homens por envolvimento com o tráfico de drogas

Na sexta-feira, 03, a Polícia Militar, por meio do Grupo Tático de Tarauacá, braço da corporação para o enfrentamento do crime organizado, conseguiu prender...

Cel. Ulysses será o vice de Minoru Kinpara e Major coordenadorá a campanha do ex-reitor da Ufac

Pedro Valério continua presidente regional do PSL no Acre e as candidaturas do interior tanto para o legislativo, como para o executivo será coordenada...

Coluna Diva: Lenilda Farias, a exuberância da mulher da terra do abacaxi

Confesso que estava morrendo de saudades de escrever sobre as belas mulheres e descrever a perfeição das curvas de seus corpos e, claro, falar...