TARAUACÁ: CONSELHO DOS CONSUMIDORES DEBATE QUESTÃO DA ENERGIA NO MUNICÍPIO

O Grupo Energisa assumiu no último dia 6 de dezembro, o controle da Eletrobras Distribuição Acre (antiga Eletroacre – Companhia de Eletricidade do Acre), que foi adquirida em leilão realizado pelo BNDES, na B3, em agosto deste ano.

Com a aquisição da concessionária, a Energisa, que já conta com 7,3 milhões de clientes em todo o Brasil, passa a atender a mais 263 mil consumidores em 22 municípios, em uma área de 164 mil km².

Nesta quinta feira (13), o Conselho dos Consumidores com representantes da sociedade civil e da própria empresa, esteve em Tarauacá onde realizou um debate, no auditório do Sinteac, com representantes da população. Participaram vereadores, sindicatos urbanos e rural, representantes de bairros, pequenos empresários e população. Pelo Conselho, presentes o Presidente Ivan de Carvalho acompanhado do Ouvidor da Energisa, Diego Pablo, Sindicalista Maria Elza, responsável pela empresa na Regional Tarauacá-Feijó-Jordão, Germerson Moraes e o representante local Sulleiman Sampaio. A Prefeita Marilete, apesar de ser convidada, não compareceu e nem mandou representantes. Pela câmara participaram os vereadores Lauro Benigno e Janaina Furtado.

O Presidente Ivan de Carvalho iniciou sua fala agradecendo a presença de todos e lamentando a ausência da prefeitura o que prejudicaria o debate. “Em todos os municípios por que passamos, ouve muito interesse dos prefeitos sobre esse debate da energia. A participação das prefeituras é fundamental pois as mesmas tem responsabilidades grandes para garantir que esse serviço chegue a todos os habitantes”, disse Ivan.

Na pauta do debate da energia assuntos como geração, distribuição, programa luz pra todos, preço, qualidade e novos investimentos, foram os mais destacados.

Os vereadores Lauro e Janaina cobraram a extensão da rede nos bairros da cidade e a questão da rede de energia das escolas estaduais e municipais. Sobre esse assunto o representante da empresa disse que as áreas de ocupação (Invasão), a prefeitura precisa DECRETAR que são Áreas de Interesse Social e somente a partir daí a empresa tem como trabalhar um projeto de extensão da rede. “Nas escolas quando é apenas a rede baixa é dever da empresa a instalação da rede de energia. Quando precisa ligar por exemplo diversos aparelhos de ar condicionado, tem que ter uma sub estação e a obrigação passa a ser dos governos que devem construir as sub estações com transformadores adequados, para que a energia seja fornecida“, explicou Germerson.

Os representantes da empresa responderam aos mais diferentes questionamentos e dúvidas dos presentes e se comprometeram a encaminhar todas as demandas apresentadas pelos representantes do município.

Sobre os reajustes os representantes disseram que são definidos pela ANNEL e não pela empresa. 

O presidente Ivan de Carvalho fez uma análise positiva do debate e disse que o Conselho do Consumidor é a defesa da população junto à empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *