Jorge Viana participa da Conferência do Clima, na Polônia

Como relator da Comissão Mista de Mudanças Climáticas, senador integra comitiva de parlamentares no encontro que reúne líderes de todo o planeta.

O senador Jorge Viana integra a comitiva de parlamentares que participam nesta semana da Conferência das Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP24), realizada na Polônia. Como ex-presidente e atual relator da Comissão Mista de Mudanças Climáticas do Congresso Nacional, Jorge Viana participou da primeira agenda com os parlamentares neste domingo (09) com uma reunião da União Interparlamentar (UIP), entidade que reúne congressistas de todo o mundo. Senadores, deputados e comissões dialogam com lideranças, ativistas e especialistas presentes ao evento na tentativa de garantir o cumprimento dos compromissos assumidos no Acordo de Paris.

A conferência que começou no dia 2 de dezembro, em Katowice, Polônia, vai até a próxima sexta-feira (14). Ao longo da última semana, foram divulgados estudos que apontam os riscos do aquecimento global para o meio ambiente, para a saúde humana e para o desenvolvimento da economia.

O senador Jorge Viana entende que as pessoas precisam entender a necessidade de conter o avanço do aquecimento global. “A grande discussão deste evento é o que os parlamentos do mundo têm que fazer vinculados ao acordo do clima. Não é só ratificar o acordo, mas agora todo o aparato de legislação voltado para uma economia de baixo carbono [que diminui o impacto da produção e queima de energia, bem como a emissão de gases do efeito estufa]. Agora, como alcançar isso é o problema. Não pode ser algo que venha só do governo, não pode ser de um segmento da sociedade, tem que ser de todos”, disse o senador.

Segundo Jorge Viana, a COP24 tem importância destacada na reta final da implementação definitiva do chamado Acordo de Paris, assinado em 2015 na COP21. O senador citou relatórios apresentados pela Organização das Nações Unidas (ONU) que reforçam que metas de limitar o aumento da temperatura global em até 2 graus Celsius, ou 1,5 graus Celsius, como prevê o Acordo de Paris, só serão alcançadas se os países adotarem de forma urgente medidas que reduzam de forma significativa as emissões de gases de efeito estufa.

“Em uma reunião da União Interparlamentar, nós vimos que o gasto com as consequências da mudança do clima chega a US$ 400 bilhões e que o custo de prevenção é bem mais baixo. As Nações Unidas falam que os desastres climáticos estão se multiplicando e que a cada dólar investido em prevenção são economizados sete dólares em reconstrução”, apontou.

Os representantes do Parlamento brasileiro ainda realizaram nesta segunda-feira (10) o Evento Parlamentar, no Espaço Brasil, um ambiente específico que todo país participante tem direito dentro do pavilhão onde ocorre a COP24. O tema foi a agenda do Legislativo frente às mudanças climáticas e a política de redução de resíduos tóxicos.

“O custo que a humanidade vai pagar se não implementar o Acordo de Paris será muito alto. É mais barato, mais civilizado e mais importante para a vida no planeta a prevenção e a implementação de uma economia e de uma vida de baixo carbono”, declarou Jorge Viana em suas redes sociais.

Além do senador Jorge Viana, estão na Polônia os senadores João Capiberibe (PSB-AP), Lídice da Mata (PSB-BA), Hélio José (Pros-DF) e Gladson Cameli (PP-AC). Os deputados federais Janete Capiberibe (PSB-AP), Leonardo Monteiro (PT-MG) e Thiago Peixoto (PSD-GO) também participam dos debates. 

(ASSESSORIA)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *