segunda-feira, agosto 3, 2020

Governo inicia 40ª etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa

Zona livre de febre aftosa há 13 anos, o governo do Estado, por meio do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf) e da Secretaria de Agricultura e Pecuária (Seap), em parceria com a Federação de Agricultura e Pecuária do Acre (Faeac) e a Superintendência Federal de Agricultura (SFA), deu início nesta quinta-feira, 1, à 40ª fase da campanha estadual de vacinação contra a doença.

Todos o rebanho deve ser vacinado até 30 deste mês (Foto: Arquivo Secom)

Os produtores acreanos têm o prazo de 1 a  30 de novembro para imunizar todo o rebanho. Os órgãos estimam que essa seja a penúltima etapa de vacinação contra a febre aftosa, tendo em vista que o estado se programa para realizar a retirada da vacina em 2019, tornando-se zona livre sem vacinação. No Brasil, apenas Santa Catarina possui esse status, o que agrega valor à proteína bovina comercializada.

O diretor-presidente do Idaf, Ronaldo Queiroz, destaca as políticas públicas de incentivo ao setor e reconhece o compromisso do criador em garantir a qualidade do rebanho. Confiante, ele afirma que o Acre está avançando e o mérito é para toda a cadeia produtiva, governo e produtores. “Nessa fase, todo o rebanho deve ser vacinado e os produtores têm até 15 de dezembro para apresentar a declaração de imunização dos animais.”

Quem não declarar ao Idaf, além de pagamento de multa, ficará impedido de retirar a Guia de Trânsito Animal (GTA) e de se cadastrar em programas de incentivo e fomento do governo.

Órgãos estimam que essa seja a penúltima etapa de vacinação contra a febre aftosa (Foto: Maria Meirelles/Secom)

Retirada da vacina

Compondo o Bloco I do Plano Nacional Estratégico de Prevenção e Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA), Acre e Rondônia serão os primeiros estados a realizarem a retirada da vacina.

Segundo o superintende da SFA, Luziel Carvalho, a carne bovina acreana é de qualidade. “Esse é produto consolidado e bem referenciado em todo contexto nacional e internacional”, salientou, destacando a importância de consolidar novos investimentos nos serviços de defesa. “Como não teremos mais a vacinação como forma de imunizar e ter controle do rebanho, teremos que fortalecer as ações de vigilância e fiscalização para que o nosso rebanho não apresente problemas.”

Para o presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Acre, Assuero Veronez, o momento é de alegria. “O status de zona livre sem aftosa traz para o produtor não apenas uma economia, como também a inserção em mercados ainda não alcançados. Os países livres de aftosa sem vacinação alcançam mercados altamente valorizados. Ganham o produtor, a economia e toda a sociedade”, ponderou.

Com apenas 13% de área aberta e 87% de floresta preservada, a gestão estadual tem investido em tecnologia para tornar as propriedades ainda mais produtivas e rentáveis, otimizando áreas e diversificando a produção rural. Uma economia verde que tem como base a política de desenvolvimento sustentável.

Agência de Notícias do Acre

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Popular

Tarauacá: Grupo Tático prende cinco homens por envolvimento com o tráfico de drogas

Na sexta-feira, 03, a Polícia Militar, por meio do Grupo Tático de Tarauacá, braço da corporação para o enfrentamento do crime organizado, conseguiu prender...

Jordão: extração do látex da seringueira melhora renda de moradores da reserva extrativista; venda da borracha injetou sessenta mil na zona rural do município

Durante quase cem anos , final do séc. XIX e até  meados de 80 do séc. XX, a borracha, produto extraído do látex da...

Cel. Ulysses será o vice de Minoru Kinpara e Major coordenadorá a campanha do ex-reitor da Ufac

Pedro Valério continua presidente regional do PSL no Acre e as candidaturas do interior tanto para o legislativo, como para o executivo será coordenada...

Vereadores de Jordão apresentaram mais de 300 proposições legislativas em 2019

Os parlamentares de Jordão, no interior do Acre, concluem 2019 como um dos anos mais produtivos da história política da cidade. Os edis apresentaram...