TARAUACÁ: VEREADORES DENUNCIAM PÉSSIMAS CONDIÇÕES DO ARMAZENAMENTO DA CARNE NO MERCADO PÚBLICO

Os vereadores Janaina Furtado,  Lauro Benigno, Raquel Souza, Neirimar Lima e Antônio Araújo, visitaram na manhã desta terça feira, 30 de outubro, o açougue do mercado público municipal, para averiguar as denuncias que receberam, sobre as péssimas condições de higiene em que a carne comercializada ali estaria sendo armazenada. Ao constatarem o fato, os parlamentares acionara rapidamente a vigilância sanitária para que o órgão tomasse conhecimento da situação e as providências legais.

A carne que é vendida para a população sob a responsabilidade da prefeitura estava sendo armazenada em condições impróprias colocando em risco a saúde dos consumidores. No mercado público a carne é vendida misturada e o quilo custa apenas R$8,50 (oito reais e cinquenta centavos).

A Vigilância Sanitária notificou a gerência do mercado, interditou os freezers e  recomentou a limpeza total do ambiente.

Ao saírem do mercado, os parlamentares foram até o gabinete do prefeito em exercício, Chico Batista e pediram que o mesmo tomasse providências em relação ao mercado público.

Em maio de 2017, a vereadora Janaina havia denunciado publicamente as péssimas condições de armazenamento da carne neste mesmo local e que o produto estaria sendo comercializado “estragada”, colocando a saúde pública em risco. Veja a matéria  AQUI . Na época a prefeita Marilete mandou instalar uma nova câmara frigorífica, um balcão frigorífico novo e limpeza no local.

Não dá pra admitir o que está acontecendo. As pessoas devem ser tratadas com respeito. Queremos uma solução imediata“, disse o vereador Lauro Benigno.

Para Janaina Furtado a ação conjunta dos vereadores é fundamental. “Somos onze parlamentares de diversos partidos. Se a gente se juntar teremos mais força para ajudar a resolver grande parte dos problemas que a população enfrenta. Esse caso do mercado o problema se repete. Há pouco mais de um ano eu denuncie esse problema e agora infelizmente volta a se repetir“, comentou.  

Os parlamentares disseram que vão conceder um prazo para que a prefeitura resolva o problema. Se não resolver vão acionar a prefeitura na justiça. 

(

assessoria)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *