segunda-feira, julho 13, 2020

No Dia da Amazônia, Marina defende demarcação de terras indígenas e ‘desmatamento zero’

Candidata da Rede à Presidência da República fez campanha em Belém (PA). Ela afirmou que se eleita desenvolverá projeto de concessão florestal para manejo sustentável.

A candidata da Rede à Presidência da República, Marina Silva, defendeu nesta quarta-feira (5) a demarcação de terras indígenas e “desmatamento zero”.

A presidenciável fez campanha em Belém na data em que é comemorado o Dia da Amazônia. Na capital do Pará, Marina visitou o Museu Emílio Goeldi, onde conversou com pesquisadores e ambientalistas, visitou o aquário da instituição, fez foto em samaumeira e visitou uma exposição.

Durante entrevista à imprensa, Marina foi questionada sobre como lidará com as demandas de povos indígenas e com os interesses de produtores rurais. Marina respondeu que vai proteger indígenas e demarcar terras.

“[Vou lidar] respeitando a lei, protegendo os índios, demarcando suas terras. Não permitindo nenhum tipo de invasão. Por isso que, no meu plano de governo, está previsto um fundo de regularização fundiária, para aqueles casos em que você tem assentamento de pessoas por parte do governo em área indígena. O fundo irá indenizar essas áreas que foram ocupadas por política de governo”, afirmou.

Projeto de concessão florestal

A jornalistas, Marina disse também que se eleita vai desenvolver um projeto de concessão florestal para manejo sustentável. E que vai fomentar o uso de tecnologia para melhorar a produtividade da pecuária e também diminuir o desmatamento, com mais fiscalização e projetos sustentáveis

“Vamos trabalhar a implementação das concessões de florestas públicas para o manejo em bases sustentáveis. Vamos trabalhar pra que se tenha apoio à agricultura, mas usando as tecnologias já disponíveis na Embrapa. Não será mais necessário ampliar área para aumentar a produção”, declarou.

“Vamos aumentar a produção por ganho de produtividade, e com isso chegar ao desmatamento zero, protegendo as áreas de proteção integral, as reservas extrativistas”, acrescentou Marina.

A presidenciável da Rede disse ainda que vai reforçar o orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações para investir nas instituições de pesquisa e que vai apresentar um plano de recuperação dos museus.

Leandro Matthaus
Leandro Matthaus é graduado em Letras Português pela UFAC, radialista e narrador esportivo. Atuou nos sites Acrenoticias.com, Blog do Kaká, Tarauacá Agora, foi assessor de comunicação da Prefeitura de Tarauacá. No rádio, tem passagens pelas Rádio Nova Era FM 87,9 e Jordão FM 88.5 Cultural. Tem um programa na Rádio Juruá FM 100,9 (Programa Mistura Fina). Além de ser Vascaíno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Popular

Jordão: extração do látex da seringueira melhora renda de moradores da reserva extrativista; venda da borracha injetou sessenta mil na zona rural do município

Durante quase cem anos , final do séc. XIX e até  meados de 80 do séc. XX, a borracha, produto extraído do látex da...

Tarauacá: Grupo Tático prende cinco homens por envolvimento com o tráfico de drogas

Na sexta-feira, 03, a Polícia Militar, por meio do Grupo Tático de Tarauacá, braço da corporação para o enfrentamento do crime organizado, conseguiu prender...

Cel. Ulysses será o vice de Minoru Kinpara e Major coordenadorá a campanha do ex-reitor da Ufac

Pedro Valério continua presidente regional do PSL no Acre e as candidaturas do interior tanto para o legislativo, como para o executivo será coordenada...

Coluna Diva: Lenilda Farias, a exuberância da mulher da terra do abacaxi

Confesso que estava morrendo de saudades de escrever sobre as belas mulheres e descrever a perfeição das curvas de seus corpos e, claro, falar...