Tarauacá: ” Se morrer não faz falta”, diz prefeita em reunião com servidores públicos do município

O clima ficou tenso na reunião entre a prefeita Marilete Vitorino , de Tarauacá, e os servidores públicos efetivos dos cargos de auxiliar de administração, técnico de enfermagem, ect. 
Na reunião realizada no teatro municipal José Potyguara, nesta noite de quinta-feira (12), os trabalhadores, cerca de cem, compareceram vestido de preto, simbolizando luto pelas medidas que a gestora pretende pôr em prática. Ou seja, diminuir o salário deles. 
A gestora foi notificada pelo TCE que o município está gastando muito além do que é permitido com a folha pessoal. A medida da gestora é diminuir o salário dos funcionários da área de nível médio. Contudo, eles não aceitam, até porque o artigo 37 da Carta Magna  que rege administração pública garante que o último a ser atingidos com as medidas de austeridade da gestão são os funcionários do quadro efetivo. Primeiro corta-se na própria carne, isto é, cargos de confiança. 
Revoltada com a forma que foi recebida pelos trabalhadores, Marilete Vitorino disse quem está com cara de morte, se morrer não fará falta. 
A vereadora Veinha do Valmar (PDT), que também é servidora pública, em conversa com o blog irinou a fala da prefeita. “Agora eu entendi porque ela está construindo gavetas no cemitério”. Veinha também disse se morrer fará falta. 
O áudio em que a prefeita proferiu tais palavras contra os servidores circulam nos grupos de WhatsApp, e também estão com este comunicador. 
Por Leandro Matthaus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *