Pioneiro no rádio juruaense, radialista Nonato Costa se licencia depois de quarenta anos no ar para disputar uma vaga na ALEAC

Raimundo Nonato Costa ou simplesmente Nonato Costa, de 60 anos de idade, por força da legislação eleitoral está de licença das ondas zonas sonoras do rádio acreano desde o dia 30 de junho para concorrer uma das 24 vagas na ALEAC. Ser dono de uma voz irreverente, além do carisma que tem com o ouvinte, fez dele um dos maiores comunicadores do rádio.  Dos 60 anos de vida, quase quarenta foram dedicados ao rádio e a comunicação.

O comunicador é pioneiro no rádio na região do vale do Juruá, tendo começado sua trajetória na antiga Radiobrás (Rádio Nacional de Brasília), alcançando o cargo de diretor da instituição. Na sua terra natal, Cruzeiro do Sul, mantinha no ar dois programas diários, de segunda a sexta-feira: “O bom dia Juruá” e o “Boa noite Acre”. Nos sábados comandava o Brasil Brega Show, cujo programa é retransmitido para mais de seiscentas emissoras.  

Além de radialista, Nonato Costa comandou a secretária de comunicação de Cruzeiro do Sul por três vezes, foi secretário de Estado de comunicação e diretor da rádio Difusora. Nonato não quer mais ser apenas a voz do ouvinte no rádio, mas também na Assembleia Legislativa, por isso decidiu pôr seu nome em avaliação.

Ao Portal Tarauacá, o radialista falou do porquê de se licenciar dos microfones e postular um mandato de deputado estadual. Segundo ele, os acontecimentos políticos e a falta de credibilidade na grande maioria dos mandatários, além do desejo de mudança do eleitor, fez com que ele entrasse no cenário. “Nós vivemos num país, cujo momento é muito difícil e a população clama por mudanças drásticas. Para todo lado tem corrupção, e nós como comunicadores de massa reclamamos, criticamos, mas precisamos fazer muito mais, ou seja, entrar na disputa, senão estamos dando a oportunidade de os mesmos continuar no poder”.

Sem recursos financeiros tocar uma campanha como muitos fazem, Costa aposta na sua credibilidade moral que tem com o seu público. “Baseado no meu histórico de vida, nos cargos que já ocupei, vou tocar minha campanha depois que for permitido pela legislação”. Ainda segundo ele, quem ocupa cargos públicos não tem como ter posses, se tem, há algo de errado nisso.

A bandeira da pré-campanha e, posteriormente a campanha será construído com o eleitor. Contudo, ele já tem três pilares que serão pautados por ele: saúde, segurança e cultura/esporte. “ A gente não pode ter projeto pronto, temos que ouvir e construir com a população”.

Saúde

Levar mais ações de saúde para o interior, fazer com que as políticas públicas cheguem aos lugares mais longínquos.

Segurança

Precisamos que o poder público se faça presente em todas comunidades, gerando emprego, cultura e esporte e lazer. Com isso vamos combater a criminalidade que afeta nosso Estado. Não podemos mais aceitar isso, argumenta o pré-candidato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *