Cruzeiro do Sul: Ilderlei Cordeiro e Vagner Sales, uma relação de amor e ódio

Depois que teve seu grupo político tirado dos cargos e viu seu nome metido no mar de lama, Vagner Sales (MDB) partiu com toda ferocidade para cima de Ilderlei Cordeiro, atual prefeito de Cruzeiro do Sul. Até perdão aos eleitores o Leão do Juruá já pediu por ter “feito” Cordeiro chefe do executivo local. 
Vagner Sales investiu todo seu capital político para eleger o ex-vice de Zila e ex-deputado federal, contudo, ao tomar posse como gestor, os acordos não seguiram o curso desejado pelo ex-poderoso chefão. Em janeiro de 2017, seis secretários que foram nomeados por Cordeiro já vinham comando pasta na gestão Sales, mas aos poucos as peças do jogo foram mudando. 
A gula do ex  confrontou-se com a do atual, por isso caiu por terra todo o combinado, a começar pela negativa de Ilderlei em apoiar a reeleição da Jéssica Sales. Pondo a máquina administrativa a disposição do seu tio. O que contrariou todas as expectativas do Leão que almeja reeleger a filha e voltar a ALEAC. 
Posteriormente, Cordeiro deixou a legenda comandada por Sales e migrou para o antigo PP (atual Progressista) de Gladson Cameli, “aliado” do ex-prefeito. Não obstante em cortar a gula do seu antigo aliado e responsável por sua vitória nas urnas, Ilderlei tem exposto toda a carnificina administrativa do homem que se vangloria como o arauto da boa gestão. Dentre os casos expostos, o progressista acusa-o de não repassar nada menos que cem milhões de reais para o INSS. Tal acusação ora comprovada, pode ser o passaporte para o xilindró de Vagner, a exemplo de outros políticos que viram sua majestade declinar. 
Depois desses acontecimentos, qualquer ato do prefeito é motivo para o ex ir a imprensa acusá-lo de mau gestor, irresponsável no bom português. Por outro lado, Ilderlei rebate-o e promete acioná-lo na justiça. A história de amor do período eleitoral virou ódio ao estremo judicial. 
Por Leandro Matthaus 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *