Até quando os cidadãos tarauacaenses serão reféns do crime?

A onda de assaltos nos comércios de Tarauacá, cidade distante da capital a 430 km, tem deixado a população horrorizada com a forma que é roubada.  Uma verdadeira tragédia na segurança pública para um município que tem uma população com cerca de 25 mil habitantes na zona urbana. 

Em menos de uma semana, cinco assaltos foram praticados no comércio local, um sequestro, além de outros  delitos praticados pelos sujeitos à margem da lei. Bandidos de punho de armas que na grande maioria são reservadas ao uso exclusivo das Forças Armadas do País, chegam, abordam e levam todo o dinheiro dos trabalhadores, quando não praticam outro tipo de violência. 

Mesmo diante de toda essa violência o Estado fica inerte. Não dá uma resposta a altura da qual todo cidadão de bem espera. Essa criminalidade não é exclusividade de Tarauacá, mas o receio  é  explicado, porque até dias atrás vivíamos numa cidade pacata. Na qual dezenas de comerciantes ficavam até altas horas com o comércio de portas abertas, outros ficavam nas praças, ou na calçada de casa papeando, porém, isso tornou-se quase proibido, mesmo sem que haja uma ordem dizendo que ninguém faça mais, optaram por não fazer, pois o medo é a lei que impera na terra do abacaxi. 

Até quando criminosos ditarão as regras na cidade? Até quando o governo assistirá tudo inerte?

Por Leandro Matthaus 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *