TARAUACÁ: VEREADOR APRESENTA PROJETO QUE CRIA A MEIA MARATONA NO MUNICÍPIO

Na sessão da desta terça feira, 20/03, o vereador Carlos Tadeu do PCdoB, que também é presidente da câmara, apresentou uma proposição de lei criando a Meia Maratona Pedestre e Ciclista “Santana Filho”. O Projeto de Lei foi lido em plenário e agora segue para as Comissões, onde será analisado e deverá aguardar o parecer dos demais vereadores. O Projeto de Lei foi lido em plenário e agora segue para as Comissões, onde será analisado e receberá o parecer dos demais vereadores.

Vereador Carlos Tadeu – PCdoB

De acordo, com o projeto a meia maratona passará a compor o calendário de eventos esportivos do município e deverá ocorrer anualmente no mês de Abril na programação do aniversário da cidade. 

Pela proposta, a meia maratona de pedestre será dividida em provas de 10 km para homens e 8 km para mulheres. Já a ciclista será dividida em provas de 30 km para homens e 15 km para as mulheres. Ambas divididas em três faixas etárias. A primeira dos 18 aos 35 anos, a segunda dos 36 aos 48 anos e a terceira de 49 a 80 anos.

Após a aprovação do projeto, será criada uma comissão organizadora pela qual ficara responsável pela definição do percurso.

Maratona é o nome de uma corrida realizada na distância oficial de 42,195 km, normalmente em ruas e estradas. Única modalidade esportiva que se originou de uma lenda, seu nome foi instituído como uma homenagem à antiga lenda grega do soldado ateniense Fidípides, um mensageiro do exército de Atenas, que teria corrido cerca de 40 km entre o campo de batalha de Maratona até Atenas para anunciar aos cidadãos da cidade a vitória dos exércitos atenienses contra os persas e morreu de exaustão após cumprir a missão.Corridas de longa distância, entretanto, existem em documentos muito mais antigos e já eram disputadas séculos antes da civilização grega, no Antigo Egito. O faraó Taharqa, da XXV dinastia, rei de Kush, e que viveu séculos antes dos acontecimentos entre atenienses e persas, instituiu uma corrida de longa distância para manter seus exércitos em alto preparo físico, num distância aproximada de 100 km, o que nos dias de hoje é considerada uma ultramaratona. Esta corrida é hoje revivida no Egito com o nome de “Pharaonic 100km” e é disputada entre a pirâmide de Hawara, em Faium, e as pirâmides de Sakkara, a sudoeste do Cairo. Mas foi a lenda do soldado grego que despertou a imaginação das gerações seguintes e a corrida e morte de Fidípedes, incorporada num popular poema de Robert Browning, no século XIX, que habitava a imaginação de Pierre de Coubertin quando decidiu reviver os Jogos Olímpicos no fim daquele século.[1]Uma das mais longas, desgastantes e difíceis provas do atletismo, a maratona é, ininterruptamente, uma prova olímpica desde a primeira edição dos Jogos Olímpicos, em Atenas 1896. Sua distância atual, percorrida pela primeira vez em Londres 1908, só se tornou oficial em 1921. Popularizada em fins do século XXcomo corrida de massa, mais de 500 maratonas são realizadas anualmente em todo mundo. Algumas delas são disputadas por apenas algumas dúzias de atletas[2]enquanto outras podem comportar dezenas de milhares de participantes.[3] No calendário olímpico a maratona é, tradicionalmente, o último evento dos Jogos Olímpicos.Reza a lenda que, no ano de 490 a.C., quando os soldados atenienses partiram para a planície de Marathónas para combater os persas na Primeira Guerra Médica,[4] suas mulheres ficaram ansiosas pelo resultado porque os inimigos haviam jurado que, depois da batalha, marchariam sobre Atenas, violariam suas mulheres e sacrificariam seus filhos. Ao saberem dessa ameaça, os gregos deram ordem a suas esposas para, se não recebessem a notícia da sua vitória em 24 horas, matar seus filhos e, em seguida, suicidarem-se.Os gregos ganharam a batalha, mas a luta levou mais tempo do que haviam pensado, de modo que temeram que elas executassem o plano. Para evitar isso, o general grego Milcíades ordenou a seu melhor corredor, o soldado e atleta Fidípedes, que corresse até Atenas, situada a cerca de 40 km dali, para levar a notícia. Fidípedes correu essa distância tão rapidamente quanto pode e, ao chegar, conseguiu dizer apenas “vencemos”, e caiu morto pelo esforço.[5]No entanto, Heródoto conta – no que é considerada por historiadores modernos como apenas uma versão romanceada[6] – que, na realidade, Fidípedes foi enviado antes da batalha a Esparta e outras cidades gregas para pedir ajuda, e que tivera de correr duzentos e quarenta quilômetros em dois dias, voltando à batalha com os reforços necessários para vencer os persas.[7] Só depois disso, teria corrido até Atenas para anunciar a vitória e então morrer pelo esforço.Seja como for, cerca de 2400 anos mais tarde, em 1896, quando da criação dos primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna, Fidípides foi homenageado com a criação dessa prova, cuja distância foi estipulada em cerca de 40 km – a distância aproximada de Maratona a Atenas – mas que desde 1921 tornou-se oficialmente de 42,195 km, depois de ser disputada nesta distância em Londres 1908.

Meia maratona é uma corrida com uma distância igual a metade de uma maratona, ou seja de 21,1 km (21 097,5 metros).A distância, apesar de bastante popular entre corredores profissionais e atletas de massa de todo o mundo, por ser uma prova de resistência que exige menos treinamento e mais adequada a corredores comuns que a maratona, provocando menos fadiga muscular,[1] não é disputada em campeonatos oficiais, como os Jogos Olímpicos e o Campeonato Mundial de Atletismo. Desde 1992, entretanto, a IAAF criou para os atletas de elite o Campeonato Mundial de Meia Maratona, disputado até 2005 e retornando em 2008. (wikipédia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *