quarta-feira, outubro 21, 2020

Júnior Damasceno da Paris Dakar quer encarar o desafio das urnas

O desembarque do empresário Júnior Damasceno, da Paris Dakar, em Rio Branco, há cerca de duas décadas e meia, parecia prenunciar o improvável. Ele descia de um avião hércules, da Força Aérea, vindo de Tarauacá, onde nasceu, com um monte catrevagens de motos acomodados em sacos de fibra. Com ele, também, a esposa, Célias Félix, e um monte de sonho na cabeça. Os sonhos viraram realidade. O Damasceno que consertava motos lá no interior tornou-se referência no mundo dos motoqueiros e dos amantes dos esportes náuticos, com sua consolidada empresa, a Paris Dakar.

Júnior Damasceno é de família tradicional de Tarauacá, mas precisou “ralar muito”, segundo diz, para chegar na potência que é hoje em Rio Branco e nos principais municípios do Acre, onde tem lojas e oficinas. “Comecei arrumando a moto de um amigo meu que caiu durante uma brincadeira lá em Tarauacá”, conta. Depois passou a guardar peças debaixo da cama. Quando decidiu vir para Rio Branco, trouxe tudo. “Cheguei aqui e fui correr de moto. Virei campeão do Acre, Rondônia e Amazonas”, conta o ex-piloto. Foi também o guitarrista da mais famosa banda do interior do Acre no final dos anos 1980 e início dos 1990, a Naja. Só parou para cuidar dos negócios com motocicletas.

Com muitos amigos espalhados por todo o Acre, portador de uma gentileza sem tamanho, bem peculiar, Júnior Damasceno começa a embalar outro sonho, o de conquistar uma cadeira no parlamento. Convidado por amigos, deve disputar as eleições de 2018 para deputado federal. Partido para acomodar o forte pretendente é o que não falta. “Tenho convites de muitos partidos”, confirma.

Antes, porém, de entrar nessa nova “corrida”, a da política, Júnior Damasceno está andando, pedindo o conselho dos amigos e consolidando as amizades de uma ponta a outra do Estado. Até o limite da lei eleitoral deve se filiar em uma sigla, onde, seguramente, comporá um grupo de pré-candidatos a deputado federal tidos como favoritos. “Vou realizar esse novo sonho, se Deus permitir”, resume Damasceno, que de sonho em sonho alcançou o ápice dentro de um mercado competitivo, o dos veículos de duas rodas e das embarcações. No comércio ele é rei. Na política ainda falta a coroa.

Blog do Evandro Cordeiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Popular

Jordão: extração do látex da seringueira melhora renda de moradores da reserva extrativista; venda da borracha injetou sessenta mil na zona rural do município

Durante quase cem anos , final do séc. XIX e até  meados de 80 do séc. XX, a borracha, produto extraído do látex da...

Tarauacá: Grupo Tático prende cinco homens por envolvimento com o tráfico de drogas

Na sexta-feira, 03, a Polícia Militar, por meio do Grupo Tático de Tarauacá, braço da corporação para o enfrentamento do crime organizado, conseguiu prender...

Cel. Ulysses será o vice de Minoru Kinpara e Major coordenadorá a campanha do ex-reitor da Ufac

Pedro Valério continua presidente regional do PSL no Acre e as candidaturas do interior tanto para o legislativo, como para o executivo será coordenada...

Vereadores de Jordão apresentaram mais de 300 proposições legislativas em 2019

Os parlamentares de Jordão, no interior do Acre, concluem 2019 como um dos anos mais produtivos da história política da cidade. Os edis apresentaram...